1. Ouvi esta palavra, que é a lamentação que faço sobre vós, ó casa de Israel! Ela caiu e não tornará mais a levantar-se,

2. a virgem de Israel! Está deitada sobre a sua ferra, e ninguém a levanta.

3. Porque isto diz o Senhor Deus: A cidade que punha em pé de guerra mil homens, ficará reduzida a cem; e aquela que punha cem, ficará reduzida a dez; (isto sucederá) na casa de Israel.

4. Porquanto isto diz o Senhor à casa de Israel: Buscai-me e vivereis.

5. Não busqueis a Betei, nem entreis em Gálgala, nem passeis por Bersabé, porque Gálgala será levada cativa, e Betel ficará reduzida a nada.

6. Buscai o Senhor e vivereis, não suceda que venha sobre a casa de José, como um fogo, e a abrase, sem haver em Betei quem o apague.

7. Convertem o direito em absinto, e abandonam a justiça na terra!

8. Aquele que criou as Plêiades e o Orião, que transforma as trevas em luz da aurora e muda o dia em noite, que chama as águas do mar e as derrama sobre a face da terra, o seu nome é: O Senhor.

9. Ele derriba os fortes e atira a ruína sobre a fortaleza.

10. Eles aborrecem o que repreende à porta (da cidade, nos julgamentos), abominam o que fala com integridade.

11. Portanto, já que esmagais o pobre e lhe impondes tributos de trigo, não habitareis nas casas de pedra de silharia, que edificastes; das excelentes vinhas que plantastes, não bebereis o vinho.

12. Porque eu conheço as vossas muitas maldades e os vossos graves pecados; sois inimigos do justo, aceitais dádivas e oprimis os pobres à porta (da cidade, nos julgamentos).

13. Por isso o prudente se cala neste tempo, porque é tempo mau.

14. Buscai o bem, e não o mal, para que vivais e o Senhor Deus dos exércitos estará convosco, como vós dizeis (que está).

15. Aborrecei o mal, amai o bem, fazei reinar a justiça na porta (da cidade, nos julgamentos); então, talvez o Senhor Deus dos exércitos se compadecerá dos restos de José.

16. Por cuja causa isto diz Iavé, o Senhor Deus dos exércitos: Por todas as praças soarão gritos: em todas as ruas se ouvirá dizer: Ai, ai! Serão convidados para este luto os lavradores, e para este pranto os que sabem carpir.

17. Em todas as vinhas haverá pranto, porque eu hei-de passar pelo meio de ti, diz o Senhor.

18. Ai dos que desejam o dia do Senhor! Que será o dia do de vós? O dia do Senhor é um dia de trevas e não de luz.

19. Como se um homem fugisse dum leão e lhe saísse ao encontro um urso, ou como se, tendo entrado em casa e segurando-se com a sua mão à parede, o mordesse uma cobra (assim sereis vós perante o inevitável castigo de Deus).

20. Que será, pois, o dia do Senhor senão trevas, e não claridade, escuridão, e não luz?

21. Eu aborreço e rejeito as vossas festas; não sinto gosto nos vossos ajuntamentos.

22. Se me ofereceis os vossos holocaustos e os vossos presentes, não os aceito; não ponho os olhos nas vítimas gordas, que me ofereceis nos vossos sacrifícios pacíficos.

23. Aparta de mim o ruído dos teus cânticos; não quero ouvir a música das tuas harpas.

24. Antes (o que quero é que) corra o direito como água (abundante) e a justiça como torrente que não seca.

25. Porventura, ó casa de Israel, oferecestes-me vós sacrifícios e oblações no deserto, onde estivestes quarenta anos?

26. Vós sim, levastes o tabernáculo de Sakut, vosso rei, e Kevan, vosso ídolo, a estrela do vosso deus (Saturno), coisas que fizestes por vossas mãos.

27. Eu vos deportarei para além de Damasco (para a Assíria), diz o Senhor, cujo nome é Deus dos exércitos.





"Tente percorrer com toda a simplicidade o caminho de Nosso Senhor e não se aflija inutilmente.” São Padre Pio de Pietrelcina