1. Quando o Senhor quis arrebatar Elias ao céu num remoinho (de fogo), Elias e Eliseu partiram de Galgala.

2. Elias disse a Eliseu: Fica aqui, porque o Senhor me mandou a Betel. Eliseu respondeu-lhe: Viva o Senhor e viva a tua alma, que não te deixarei. Indo para Betel,

3. saíram os filhos dos profetas, que estavam em Betel, a receber Eliseu, e disseram-lhe: Porventura sabes tu que o Senhor te há-de levar hoje o teu amo? Ele respondeu: Eu também o sei; calai-vos.

4. Disse Elias a Eliseu: Fica aqui, porque o Senhor me mandou a Jericó. Ele respondeu: Viva o Senhor e viva a tua alma, que não te deixarei. Tendo chegado a Jericó,

5. foram os filhos dos profetas, que estavam em Jericó, ter com Eliseu, e disseram-lhe: Porventura sabes tu que o Senhor te há-de tirar hoje o teu amo? Ele disse-lhes: Eu também o sei; calai-vos.

6. Disse-lhe novamente Elias: Fica aqui, porque o Senhor me mandou até ao Jordão. Ele respondeu: Viva o Senhor e viva a tua alma, que não te deixarei. Foram, pois, ambos juntos,

7. e cinqüenta dos filhos dos profetas os seguiram. Pararam defronte deles, ao longe, e eles ambos puseram-se à borda do Jordão.

8. Elias tomou a sua capa, dobrou-a, e feriu as águas, as quais se dividiram para as duas bandas, de modo que passaram ambos a pé enxuto.

9. Tendo passado, disse Elias a Eliseu: Pede-me o que queres que eu te alcance, antes que eu seja arrebatado de ti. Eliseu respondeu: Seja-me concedida uma porção dobrada do teu espirito.

10. Elias respondeu: Dificultosa coisa pediste; todavia, se tu me vires quando me arrebatarem de ti, (isto é o sinal de que) terás o que pediste; mas, se não me vires, não o terás.

11. Continuando o seu caminho, entretidos a conversar, eis que um carro de fogo e uns cavalos de fogo os separaram um do outro, e Elias subiu ao céu no meio dum remoinho.

12. Eliseu o via e clamava: Meu pai, meu pai! Carro de Israel e seu condutor! Depois não o viu mais. Tomando então as suas vestes, rasgou-as em duas partes (sinal de dor),

13. e levantou do chão a capa que Elias lhe tinha deixado cair. Voltando, parou à borda do Jordão

14. e, pegando na capa que Elias lhe tinha deixado cair, feriu as águas, dizendo: Onde está agora o Senhor, o Deus de Elias? Quando feriu as águas, elas dividiram-se para uma e para outra parte, e Eliseu passou.

15. Vendo isto, os filhos dos profetas, que estavam em Jericó, na margem oposta, disseram: O espírito de Elias repousou sobre Eliseu. Saindo ao seu encontro, prostraram-se por terra a seus pés, com profundo respeito,

16. e disseram-lhe: Sabe que entre os teus servos há cinqüenta homens fortes, que podem ir buscar o teu amo, porque talvez o espirito do Senhor o levasse, e atirasse com ele para algum monte ou para algum vale. Eliseu respondeu: Não mandeis.

17. Eles, porém, constrangeram-no, até que condescendeu e disse: Mandai. Mandaram, pois, cinquenta homens, os quais, tendo-o buscado durante três dias, não o encontraram.

18. Quando voltaram para Eliseu, que estava em Jericó, ele disse-lhe: Não vos disse eu: Não mandeis?

19. Disseram a Eliseu os habitantes desta cidade: A habitação desta cidade é muito boa como tu mesmo. Senhor, vês, mas as águas são más e a terra estéril.

20. Ele respondeu: Trazei-me um vaso novo e deitai-lhe sal. Tendo-lho trazido,

21. saiu ele à fonte das águas, deitou sal nelas e disse: Eis o que diz o Senhor: Eu sarei estas águas, e elas não causarão mais nem morte nem esterilidade.

22. Tornaram-se, pois, sadias aquelas águas até ao dia de hoje, conforme a palavra que Eliseu disse.

23. Dali foi para Betel, e, indo pelo caminho, uns rapazes pequenos saíram da cidade e zombavam dele, dizendo: Sobe, ó calvo, sobe, ó calvo!

24. Eliseu, virando-se para eles, olhou-os e amaldiçoou-os em nome do Senhor. Imediatamente saíram dois ursos do bosque, e despedaçaram quarenta e dois daqueles rapazes.

25. Dali retirou-se para o monte Carmelo, e de lá voltou para Samaria.





“Viva sempre sob o olhar do Bom Pastor e você ficara’ imune aos pastos contaminados.” São Padre Pio de Pietrelcina