1. Naaman, general do exército do rei da Síria, era um homem poderoso e de grande consideração junto do seu amo, porque, por meio dele, o Senhor salvou a Síria; era um homem valente e rico, mas leproso.

2. Ora uns guerrilheiros, que tinham saído da Síria para fazer uma incursão, levaram cativa do país de Israel uma pequena rapariga, que ficou ao serviço da mulher de Naaman.

3. Ela disse à sua ama: Prouvera a Deus que o meu senhor tivesse ido ter com o profeta que está em Samaria; sem dúvida ele o teria curado da lepra que padece.

4. Tendo ouvido isto, Naaman foi ter com o seu senhor, e contou-lhe o acontecido, dizendo: Uma rapariga do país de Israel disse isto e Isto.

5. O rei da Síria respondeu-lhe: Vai, que eu enviarei uma carta ao rei de Israel. Partindo, pois, Naaman, e levando dez talentos de prata, seis mil escudos de ouro, e dez vestes sobressalentes,

6. entregou ao rei de Israel a carta concebida nestes termos: Quando receberes esta carta, saberás que eu te enviei Naaman meu servo, para o curares da sua lepra.

7. O rei de Israel, lida a carta, rasgou as suas vestes e disse; Porventura sou eu Deus, que posso tirar e dar a vida, para que este me mande dizer que cure um homem da lepra? Adverti, e vereis que ele anda buscando pretextos contra mim.

8. Tendo ouvido isto Eliseu, homem de Deus, isto é, que o rei de Israel tinha rasgado as suas vestes, mandou-lhe dizer: Por que rasgaste as tuas vestes? Venha (esse homem) ter comigo, e saberá que há um profeta em Israel.

9. Foi, pois, Naaman com os seus cavalos e carros, e parou à porta da casa de Eliseu.

10. Eliseu enviou-lhe um mensageiro a dizer: Vai, lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será curada: ficarás limpo.

11. Naaman, agastado, retirava-se, dizendo: Eu julgava que ele sairia a receber-me e que, posto em pé, invocaria o nome do Senhor, seu Deus, que me tocaria, com a sua mão, o lugar da lepra, e que me curaria.

12. Porventura Abana e Farfar, rios de Damasco, não são melhores do que todas as águas de Israel, para eu me lavar nelas e ficar limpo? Como ele voltasse e se retirasse irritado,

13. aproximaram-se dele os seus servos e disseram-lhe: Pai, ainda que o profeta te tivesse ordenado uma coisa muito difícil, tu devias sem dúvida fazê-la; quanto mais agora que ele te disse: Lava-te e ficarás limpo.

14. Então Naaman foi e lavou-se sete vezes no Jordão, conforme a palavra do homem de Deus, e a sua carne tornou-se como a carne dum menino muito tenro, ficando limpo.

15. Voltando para o homem de Deus com toda a sua comitiva, foi, apresentou-se diante dele, e disse: Verdadeiramente conheço que não há outro Deus em toda a terra, senão o de Israel. Rogo-te que recebas do teu servo esta oferta.

16. Mas ele respondeu: Viva o Senhor, em cuja presença estou, que não a aceitarei. Por mais que (Naaman) instasse, de nenhum modo condescendeu.

17. Naaman disse: Seja como tu queres, mas peço-te que me permitas levar dois machos carregados da terra deste país, porque o teu servo não sacrificará mais holocaustos ou vitimas aos deuses estrangeiros, mas só ao Senhor.

18. Uma coisa há, todavia, pela qual hás-de rogar ao Senhor pelo teu servo: quando o meu senhor entrar no templo de Remon para adorar, apoiando-se no meu braço, e quando eu (para prestar tal serviço) também me prostrar no templo de Remon, enquanto ele adora, que o Senhor me perdoe esta coisa a mim, teu servo.

19. Eliseu respondeu: Vai em paz. Quando Naaman se retirou e estava já a certa distância,

20. Giezi, criado do homem de Deus, disse: Meu amo perdoou a este Naaman, Siro, não querendo receber nada do que ele lhe trouxera. Viva o Senhor que eu correrei atrás dele, e receberei dele alguma coisa.

21. Giezi foi no alcance de Naaman, o qual vendo-o ir correndo para ele, saltou do carro a recebê-lo, e disse: Vai tudo bem?

22. Ele respondeu: Muito bem; o meu senhor enviou-me a dizer-te: Nesta hora chegaram do monte de Efraim dois jovens dos filhos dos profetas: dá para eles um talento de prata e duas das vestes sobressalentes.

23. Naaman disse: É melhor que aceites dois talentos. (Naaman) insistiu e atou os dois talentos de prata e as duas vestes em dois sacos e carregou com eles dois dos seus servos, que os levaram diante de Giezi.

24. Chegando à colina, Giezi tomou-os das suas mãos, guardou-os em sua casa, e despediu os homens, que se retiraram.

25. E, tendo entrado, apresentou-se diante do seu senhor. Eliseu disse-lhe: Donde vens, Giezi? Ele respondeu-lhe: Teu servo não foi a parte alguma.

26. Mas Eliseu disse: Não estava eu presente em espírito, quando aquele homem desceu do carro ao teu encontro? Este é o momento de receber dinheiro, vestes, olivais, vinhas, ovelhas, bois, servos e servas?

27. A lepra de Naaman se pegará a ti e a toda a tua geração para sempre. E Giezi saiu da sua presença com lepra branca como a neve.





“O demônio é forte com quem o teme, mas é fraquíssimo com quem o despreza.” São Padre Pio de Pietrelcina