1. Se alguém chamado como testemunha, depois de ter ouvido a ajuramentação, peca não declarando o que viu ou o que sabe, carregará com a sua iniquidade. (ver nota)

2. A pessoa que tocar inadvertidamente alguma coisa impura, quer seja um animal (impuro) selvagem ou domesticado, quer seja algum dos répteis (impuros), é réu e delinquiu.

3. Igualmente, se tocar alguma coisa impura de outro homem, qualquer que for a impureza com que ele pode manchar-se, e, não tendo advertido nisso, mas reconhecendo-o depois, ficará sujeito à culpa.

4. A pessoa que jurar e declarar com seus lábios que há-de fazer alguma coisa má ou boa, e confirmar isso mesmo com juramento e com palavras, e, tendo esquecido, conhecer depois o seu delito,

5. faça penitência pelo pecado (que cometeu numa destas coisas),

6. e ofereça do seu rebanho uma cordeira ou uma cabra, e o sacerdote orará por ele e pelo seu pecado;

7. porém, se não puder oferecer uma cordeira ou uma cabra, ofereça ao Senhor duas rolas ou dois pombinhos, um pelo pecado, outro em holocausto;

8. dá-los-á ao sacerdote, o qual, oferecendo o primeiro pelo pecado, lhe torcerá a cabeça, peito da nuca, de sorte que fique pegada ao pescoço, e não seja totalmente separada.

9. Aspergirá com o seu sangue a parede do altar: o restante fá-lo-á cair gota a gota ao pé do mesmo altar, porque é (sacrifício) pelo pecado.

10. A outra (ave) queimá-la-á em holocausto, como se costuma fazer; assim o sacerdote fará expiação pelo pecado deste homem, e lhe será perdoado.

11. Se não tiver posses para oferecer duas rolas ou dois pombinhos, oferecerá pelo seu pecado a décima parte dum éfi de flor de farinha: não lhe misturará azeite nem lhe porá em cima incenso, porque é (um sacrifício) pelo pecado;

12. entregá-la-á ao sacerdote, o qual, tomando um punhado dela, a queimará sobre o altar, em memória de quem a ofereceu.

13. Assim fará o sacerdote orando por ele, e expiando; a porção, porém, que restar, té-la-á o sacerdote em donativo.

14. Falou mais o Senhor a Moisés, dizendo:

15. Se alguma pessoa pecar por erro, transgredindo as cerimônias nas coisas santificadas ao Senhor, oferecerá pelo seu delito um carneiro sem defeito, tomado dos rebanhos, do valor de dois siclos, conforme o peso do santuário;

16. ressarcirá o dano que fez, e juntará mais uma quinta parte, dando-a ao sacerdote, o qual orará por ele, oferecendo o carneiro, e assim será perdoado.

17. Se alguma pessoa pecar por ignorância, e fizer alguma daquelas coisas que são proibidas pela lei do Senhor, quando, achando-se ré de culpa, reconhecer a sua iniquidade,

18. oferecerá ao sacerdote um carneiro sem defeito tirado do rebanho, conforme a medida e a consideração do pecado; o sacerdote orará por ele, porque pecou sem o saber, e lhe será perdoado,

19. porque delinquiu por erro contra o Senhor.





“Como é belo esperar!” São Padre Pio de Pietrelcina