1. Subindo para uma pequena barca, tornou a passar o lago, e voltou para a sua cidade.

2. Eis que lhe apresentaram um paralítico, que jazia no leito. Vendo Jesus a fé que e es tinham, disse ao paralítico: "Filho, tem confiança, são-te perdoados os teus pecados."

3. Então alguns dos escribas disseram dentro de si: "Este blasfema."

4. Tendo Jesus visto os seus pensamentos, disse: "Porque pensais mal nos vossos corações?

5. Que coisa é menos difícil dizer: São-te perdoados os teus pecados, ou dizer: Levanta-te e caminha?

6. Pois, para que saibas que o Filho do homem tem poder sobre a terra de perdoar pecados: Levanta-te, disse então ao paralítico, toma o teu leito, e vai para tua casa.

7. E ele levantou-se, e foi para sua casa."

8. Vendo isto, as multidões ficaram possuídas de temor, e glorificaram a Deus por ter dado tal poder aos homens. (ver nota)

9. Partindo Jesus dali, viu um homem que estava sentado no telónio, chamado Mateus, e disse-lhe: "Segue-me." E ele, levantando-se, o seguiu.

10. Acontecem que, estando (Jesus) sentado à mesa em casa deste homem, eis que, vindo muitos publicanos e pecadores, se sentaram à mesa com Jesus e com os seus discípulos.

11. Vendo isto, os fariseus diziam aos seus discípulos: Por que motivo come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores?

12. Jesus, ouvindo isto, disse: "Os sãos não têm necessidade de médico, mas sim os enfermos.

13. Ide, e aprendei o que significa: Quero misericórdia e não sacrifício (Os. 6, 6). Porque eu não vim chamar os justos, mas os pecadores." (ver nota)

14. Então foram ter com ele os discípulos de João e lhe disseram: "Qual é a razão por que nós os fariseus jejuamos, e os teus discípulos não jejuam?"

15. Jesus respondeu-lhes: "Porventura podem estar tristes os companheiros do esposo, enquanto o esposo está com eles? Mas virão dias em que lhes será tirado o esposo, e então eles jejuarão.

16. Ninguém deita um remendo de pano cru em vestido velho, porque este remendo levaria consigo uma parte do vestido, e ficava pior o rasgão. (ver nota)

17. Nem se deita vinho novo em odres velhos; doutro modo rebentam os odres, derrama-se o vinho, e perdem-se os odres. Mas deita-se vinho novo em odres novos; e assim ambas as coisas se conservam.

18. Enquanto lhes dizia estas coisas, eis que um príncipe (da sinagoga) se aproxima e se prostra diante dele, dizendo: "Senhor, morreu agora minha filha; mas vem, põe a tua mão sobre ela, e viverá."

19. Jesus, levantando-se, o seguiu com os seus discípulos.

20. Eis que uma mulher, que, havia doze anos, padecia de um fluxo de sangue, se chegou por detrás dele, e tocou a fímbria do seu vestido.

21. Dizia dentro de si: "Ainda que eu toque sòmente o seu vestido, serei curada."

22. Voltando-se Jesus e, vendo-a, disse: 'Tem confiança, filha, a tua fé te salvou." E ficou sã a mulher desde aquele momento.

23. Tendo Jesus chegado a casa do príncipe (da sinagoga) viu os tocadores de flauta e uma multidão de gente, que fazia muito barulho.

24. "Retirai-vos, disse, porque a menina não está morta, mas dorme." E eles o escarneciam.

25. Tendo-se feito sair a gente, ele entrou e, tomando a menina pela mão, ela se levantou.

26. E divulgou-se a fama (deste milagre) por toda aquela terra.

27. Partindo dali Jesus, seguiram-no , dois cegos, gritando e dizendo: "Tem piedade de nós. Filho de David !"

28. Tendo chegado a casa, aproximaram-se dele os cegos. E Jesus disse-lhes: "Credes que posso fazer isto?" Eles responderam: "Sim , Senhor."

29. Então tocou-lhes os olhos, dizendo: "Seja-vos feito segundo a vossa fé."

30. E abriram-se os seus olhos. Jesus deu-lhes ordens terminantes, dizendo: "Vede que ninguém o saiba."

31. Mas eles, retirando-se, divulgaram por toda aquela terra a sua fama.

32. Tendo-se estes retirado, apresentaram-lhe um mudo possesso do demônio.

33. Expulso o demônio, falou o mudo, e admiraram-se as multidões, dizendo: "Nunca se viu coisa assim em Israel" Os fariseus, porém, diziam: "Ele expulsa os demônios por meio do príncipe dos demônios."

35. Jesus ia percorrendo todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas, pregando o Evangelho do reino, e curando toda a doença e toda a enfermidade.

36. Vendo aquelas multidões, compadeceu-se delas, porque estavam fatigadas e abatidas, como ovelhas sem pastor.

37. Então disse a seus discípulos: " A messe é verdadeiramente grande, mas os operários são poucos.

38. Rogai pois ao Senhor da messe, que mande operários para a sua messe."





“Seja paciente nas aflições que o Senhor lhe manda.” São Padre Pio de Pietrelcina