1. Então o rei Dario mandou que se fizessem investigações na casa dos arquivos, onde estavam depositados os tesouros, em Babilônia.

2. Foi encontrado em Ecbatana, que é uma fortaleza da província de Média, um livro, onde estava registada a seguinte memória:

3. No primeiro ano do rei Ciro, o rei Ciro ordenou que a casa de Deus, que está em Jerusalém, seja reedificada para ser um lugar onde se possam oferecer vitimas, e que lhe sejam lançados sólidos fundamentos. Terá sessenta côvados de altura e sessenta de largura,

4. com três ordens de pedras por polir, e uma ordem de madeira nova. Que as despesas sejam feitas pela casa do rei.

5. Que também os vasos de ouro e prata, que Nabucodonosor tinha tirado do templo de Jerusalém e transportado para Babilônia, sejam restituídos e reconduzidos para o templo de Jerusalém, para o seu lugar, sejam colocados no templo de Deus.

6. Agora, pois, Talanai, governador das terras, que estão da banda de além do rio, Starbuzanai, e vossos colegas Afarsaqueus, que viveis da banda de além do rio, retirai-vos dos Judeus.

7. Deixai que prossigam os trabalhos do templo de Deus, e que o governador dos Judeus e os seus anciãos edifiquem aquela casa de Deus no seu lugar.

8. Também ordeno como é que se deve proceder com aqueles anciãos dos Judeus, pelo que diz respeito à edificação da casa de Deus: do erário do rei, isto é, dos tributos que pagam as terras de além do rio, pague-se com pontualidade àqueles homens o que for necessário para as despesas, para que não se embarace a obra.

9. Reum, governador, e Samsai, secretário, com os outros seus conselheiros, os Dineus, os Afarsataqueus, os Terfaleus, os Afarseus, os Erqueus, os Babilônios, os Susanequeus, os Dievos, os Elamitas

10. e todos os outros dentre os povos, que o grande e glorioso Asenafar transportou e fez morar em paz nas cidades da Samaria e nas outras províncias da banda de além do rio, etc....

11. Eis a cópia da carta que lhe mandaram: Ao rei Artaxerxes, os teus servos, os homens que habitam da banda de além do rio, etc.

12. Saiba o rei que os Judeus, que saíram de junto de ti para nós, foram para Jerusalém, cidade rebelde e má, a qual reedificam, reconstruindo os seus muros e restaurando os seus fundamentos.

13. Agora, pois, seja notório ao rei que, se esta cidade for reedificada e os seus muros restaurados, não pagarão mais os tributos, nem os impostos, nem direito de passagem, e esta perda se fará sentir no tesouro real,

14. Nós, lembrando-nos do sal do palácio que comemos e julgando que não nos está bem ver desprezado o rei, por isso mandamos avisar o rei, (ver nota)

14. Os anciãos dos Judeus edificavam e eram bem sucedidos, conforme a profecia do profeta Ageu e de Zacarias, filho de Ado; construíram o edifício por mandado do Deus de Israel, e por ordem de Ciro, de Dario e de Artaxerxes, reis dos Persas;

15. para que examines os livros das histórias de teus predecessores; acharás escrito nos seus anais que esta cidade é uma cidade rebelde e funesta aos reis e às (outras) províncias, e que desde tempos antigos se têm nela excitado revoltas. Por tal motivo a mesma cidade foi já destruída.

15. completaram a casa de Deus no dia três do mês de Adar, no sexto ano do reinado do rei Dario.

16. Nós declaramos ao rei que, se esta cidade for reedificada e os seus muros restaurados, não possuirás as terras da banda de além do rio.

16. Os filhos de Israel, os sacerdotes, os Levitas e os outros filhos (que tinham voltado) do cativeiro, celebraram a dedicação da casa de Deus com regozijo.

17. O rei respondeu a Reum, governador, e a Samsai, secretário, e aos outros habitantes da Samaria que eram do seu partido, bem como a todos os outros que moravam da banda de além do rio, dizendo: Saúde, etc.

17. Ofereceram, para a dedicação da casa de Deus, cem novilhos, duzentos carneiros, quatrocentos cordeiros, doze bodes pelo pecado de todo o Israel, segundo o número das tribos de Israel.

18. A acusação que nos enviastes, foi lida dum modo claro na minha presença.

18. Estabeleceram os sacerdotes nas suas ordens, e os Levitas nos seus turnos, para o serviço de Deus em Jerusalém, como está escrito no livro de Moisés.

19. Foi ordenado por mim que se examinassem os anais, e acharam que, desde tempos antigos, esta cidade tem-se revoltado contra os reis, que nela se têm excitado sedições e revoltas.

19. Os filhos de Israel, que tinham vindo do cativeiro, celebraram a Páscoa no dia catorze do primeiro mês.

19. Os filhos de Israel, que tinham vindo do cativeiro, celebraram a Páscoa no dia catorze do primeiro mês.

20. Em Jerusalém houve reis poderosos, senhores de todas as terras que estão da outra banda do rio (Eufrates), os quais recebiam tributos, impostos e direito de passagem.

20. Os sacerdotes e os Levitas tinham-se purificado, como se fossem um só homem; Iodos estavam puros para imolar a Páscoa para todos os Israelitas vindos do cativeiro, para os sacerdotes seus irmãos e para si mesmos.

21. Agora, pois, ouvi o que eu ordeno: Proibi a esses homens que reedifiquem essa cidade, até que eu mande o contrário.

21. Comeram-na os filhos de Israel, que tinham voltado do cativeiro, e todos aqueles que, separando-se da corrupção dos povos do país, se tinham unido a eles, para buscarem o Senhor Deus de Israel.

22. Celebraram a solenidade dos ázimos durante sete dias com alegria, porque o Senhor os linha enchido de contentamento mudando o coração do rei da Assíria a seu favor, para este os ajudar na obra da casa do Senhor Deus de Israel.

22. Vede, não sejais negligentes em executar esta ordem, não suceda crescer o mal pouco a pouco contra os reis.

23. Logo que a cópia desta carta do rei Artaxerxes foi lida diante de Reum, governador, e de Samsai, secretário, e dos seus conselheiros, eles a toda a pressa, foram a Jerusalém ter com os Judeus e impediram-nos, à mão armada, de continuar os trabalhos.

24. Então foi interrompida a obra da casa do Senhor em Jerusalém, e não se trabalhou nela até ao segundo ano do reinado de Dario, rei dos Persas.





“Seja paciente e espere com confiança o tempo do Senhor”. São Padre Pio de Pietrelcina