1. Azarias, filho de Obed, movido pelo espírito de Deus,

2. foi ao encontro de Asa e disse-lhe: Ouvi-me, Asa e todos vós, povo de Judá e de Benjamim: O Senhor foi convosco, porque vós fostes com ele. Se o buscardes, achá-lo-eis, mas, se o abandonardes, ele vos abandonará.

3. Muito tempo passou Israel sem o verdadeiro Deus, sem sacerdote que instruísse, sem lei.

4. Quando eles, na sua angústia, se converteram para o Senhor Deus de Israel e o buscaram, ele deixou-se achar por eles.

5. Nesse tempo não havia paz para o que saía nem para o que entrava, mas de todas as partes havia terror em todos os habitantes da terra,

6. porque se levantava uma nação contra outra nação, uma cidade contra outra cidade, pois o Senhor os conturbava com toda a sorte de aflições.

7. Vós, porém, ganhai coragem, não se enfraqueçam as vossas mãos, porque a vossa obra será recompensada.

8. Asa, ouvindo o oráculo do profeta Azarias, filho de Obeb, cobrou ânimo e exterminou os ídolos de todas as cidades da terra de Judá e de Benjamim, assim como das cidades do monte de Efraim, que ele tinha tomado, e restaurou o altar do Senhor, que estava diante do átrio do Senhor.

9. Congregou todo o povo de Judá e de Benjamim, bem como os (vindos) de Efraim, de Manassés e de Simeão, porque tinham fugido para ele muitos Israelitas, vendo que o Senhor seu Deus era com ele.

10. Tendo chegado a Jerusalém no terceiro mês do ano décimo quinto do reinado de Asa,

11. imolaram ao Senhor naquele dia setecentos bois e sete mil carneiros, dos despojos e da presa que tinham levado.

12. O rei entrou, segundo o costume, para confirmar a aliança (ou promessa) de buscarem, de todo o seu coração e de toda a sua alma, o Senhor Deus de seus pais.

13. Se alguém, disse ele, não buscar o Senhor Deus de Israel, morra, desde o pequeno até ao maior, desde o homem até à mulher.

14. Prestaram juramento ao Senhor em altas vozes, ao toque das trombetas e ao som de buzinas,

15. todos os que estavam em Judá, alegrando-se com o juramento, porque o fizeram de todo o seu coração; buscaram a Deus com toda a sua vontade e encontraram-no, e o Senhor deu-lhes paz com todos os seus vizinhos.

16. Asa tirou, também, a Maaca, sua mãe, o título de rainha, porque ela tinha levantado um ídolo de Astarte, o qual ele quebrou e, fazendo e em pedaços, queimou no vale de Cedron.

17. Ainda, porém, ficaram em Israel os lugares altos: não obstante, o coração de Asa foi perfeito em todos os seus dias.

18. Levou para o templo do Senhor o que seu pai e ele tinham prometido com voto, prata, ouro, e diversas espécies de vasos.

19. Não houve guerra até ao ano trigésimo quinto do reinado de Asa.





“Proponha-se a exercitar-se nas virtudes”. São Padre Pio de Pietrelcina