1. Josafat, rei de Judá, voltou em paz para sua casa em Jerusalém.

2. Jeú, o vidente, filho de Hanani, saiu-lhe ao encontro e disse-lhe: Tu dás socorro a um ímpio e estreitas os laços da amizade com os que odeiam o Senhor, e por isso eras digno da ira do Senhor;

3. porém foram encontradas em ti obras boas, porque exterminaste da terra de Judá os ascheras e dispuseste o teu coração a buscar o Senhor Deus de teus pais.

4. Josafat, de volta a Jerusalém, saiu outra vez a visitar o povo, desde Bersabé até ao monte de Efraim, e reconduziu-o ao culto do Senhor Deus de seus pais.

5. Estabeleceu juízes no país em todas as cidades fortes de Judá, em cada um dos seus lugares.

6. Dando as suas ordens aos juízes, disse: Vêde o que fazeis, porque não exerceis a justiça dum homem, mas sim a do Senhor: tudo o que julgardes, recairá sobre vós.

7. O temor do Senhor seja convosco. Fazei todas as coisas com diligência, porque no Senhor nosso Deus não há iniquidade, nem acepção de pessoas, nem cobiça de dávidas.

8. Josafat estabeleceu também, em Jerusalém, Levitas, sacerdotes e chefes das famílias de Israel, para administrarem justiça aos seus habitantes, em nome do Senhor, e julgarem as causas.

9. Deu-lhes as seguintes instruções: Procedereis no temor do Senhor, com fidelidade e com um coração perfeito.

10. Em toda a causa, que vos vier de vossos irmãos que habitam nas suas cidades, (para julgardes) entre família e família, todas as vezes que a questão for sobre a lei, sobre os mandamentos, sobre as cerimônias e sobre os preceitos, instruí-os, para que não pequem contra o Senhor, para que a sua ira não caia sobre vós e sobre vossos irmãos. Se assim procederdes, não pecareis.

11. Com este fim Amarias, vosso sacerdote e pontífice, presidirá às coisas que dizem respeito a Deus; Zabadias, filho de Ismael, que é o chefe da casa de Judá, presidirá aos negócios que dizem respeito ao serviço do rei. Tendes convosco por mestres os Levitas. Confortai-vos, pois, e sede diligentes.





“O temor e a confiança devem dar as mãos e proceder como irmãos. Se nos damos conta de que temos muito temor devemos recorrer à confiança. Se confiamos excessivamente devemos ter um pouco de temor”. São Padre Pio de Pietrelcina