1. Por esta causa, eu, Paulo, prisioneiro de Jesus Cristo por amor de vós gentios... (ver nota)

2. se é que tivestes conhecimento da concessão da graça de Deus, que me foi dada para vós:

3. pela revelação me foi manifestado este mistério, como acabo de expor em poucas palavras. (ver nota)

4. Podeis, lendo-as, conhecer a inteligência que tenho do mistério de Cristo,

5. o qual não foi conhecido nas outras gerações pelos filhos dos homens, como agora foi revelado aos seus santos apóstolos e profetas pelo Espírito,

6. (isto é, que) os gentios são co-herdeiros (com os Judeus), membros do mesmo corpo e participantes da mesma promessa em Jesus Cristo, mediante o Evangelho,

7. do qual fui feito ministro, segundo o dom da graça de Deus, que me foi comunicada segundo a eficácia do seu poder.

8. A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios as riquezas incompreensíveis de Cristo

9. e de manifestar o plano deste mistério escondido, desde o principio dos séculos, em Deus, que tudo criou,

10. para que a multiforme sabedoria de Deus seja manifestada por meio da Igreja aos principados e potestades nos céus,

11. conforme a determinação eterna que ele realizou em Jesus Cristo Nosso Senhor,

12. no qual temos segurança e acesso a Deus com confiança, por meio da fé nele.

13. Pelo que vos rogo que não desanimeis por causa das tribulações que sofro por vós: elas são a vossa glória. (ver nota)

14. Por esta causa dobro os joelhos diante do Pai,

15. do qual toda a paternidade nos céus e na terra toma o nome,

16. para que, segundo a riqueza da sua glória, faça crescer em vós o homem interior, pelo seu Espírito,

17. e que Cristo habite pela fé nos vossos corações, de sorte que, arraigados e fundados na caridade,

18. possais compreender, com todos os santos, qual a largura, o comprimento, a altura e a profundidade (do amor de Cristo para com os homens),

19. e conhecer também aquele amor de Cristo, que excede toda a ciência, de maneira que fiqueis cheios de toda a plenitude (dos dons) de Deus.

20. Àquele que é poderoso para fazer todas as coisas mais abundantemente do que pedimos ou entendemos, segundo a virtude que opera em nós,

21. a esse (seja dada) glória na Igreja e em Jesus Cristo, por todas as gerações e por todos os séculos. Assim seja.





“Reze pelos infiéis, pelos fervorosos, pelo Papa e por todas as necessidades espirituais e temporais da Santa Igreja, nossa terna mãe. E faça uma oração especial por todos os que trabalham para a salvação das almas e para a glória do nosso Pai celeste.” São Padre Pio de Pietrelcina