1. E olhei; e eis que o Cordeiro estava de pé sobre o monte de Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil que tinham escrito sobre as suas frontes o nome dele e o nome de seu pai.

2. E ouvi uma voz do céu, como o rumor de muitas águas e como o estrondo de um grande trovão; a voz que ouvi, era como de tocadores de citara que tocavam as suas cítaras. (ver nota)

3. Cantam um cântico novo diante do trono, diante dos quatro animais e dos anciães. Ninguém podia cantar este cântico, senão aqueles cento e quarenta e quatro mil, que foram resgatados da terra.

4. Estes são os que se não contaminaram com mulheres, porque são virgens. Estes seguem o Cordeiro para onde quer que ele vá. Estes foram resgatados dentre os homens como primícias para Deus e para o Cordeiro,

5. e na sua boca não se achou mentira: estão sem mácula diante do trono de Deus.

6. Depois vi outro anjo voando para. o zénite, que tinha um Evangelho eterno, para pregar aos habitantes da terra, a toda a nação, tribo, língua e povo,

7. dizendo em alta voz: "Temei o Senhor e dai-lhe glória, porque é chegada a hora do seu juízo e prostrai-vos diante daquele que fez o céu, a terra, o mar e as fontes das águas."

8. E um outro anjo, um segundo, o seguiu, dizendo: "Caiu, caiu aquela grande Babilônia que fez beber a todas as gentes do vinho (envenenado) do furor da sua impudicícia!"

9. Seguiu-se a estes um outro anjo, um terceiro, dizendo em alta voz: "Se alguém adorar a Besta e a sua estátua e receber o sinal dela na sua testa ou na sua mão,

10. também esse beberá do vinho da ira de Deus, lançado puro no cálice da sua ira, e será atormentado em fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro.

11. O fumo do seu tormento se levanta pelos séculos dos séculos, sem que tenham descanso algum, nem de dia nem de noite, aqueles que adoram a Besta e a sua estátua, assim como aqueles que recebem a marca do seu nome."

12. Aqui está a paciência dos santos, esses que guardam os mandamentos de Deus e a fé de Jesus. (ver nota)

13. E ouvi uma voz do céu, que dizia: "Escreve: Bem-aventurados, desde agora, os mortos, que morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, que descansem dos seus trabalhos, porque as suas obras os seguem."

14. Depois olhei e vi uma nuvem branca e alguém sentado sobre a nuvem semelhante a um Filho de Homem, o qual tinha na sua cabeça uma coroa de ouro, e na sua mão uma fouce aguda.

15. Um outro anjo saiu do templo, gritando em alta voz para o que estava sentado sobre a nuvem: "Mete a tua fouce e sega, porque é chegada a hora de segar, pois a seara da terra está seca." (ver nota)

16. Então o que estava sentado sobre a nuvem, meteu a sua fouce à terra, e a terra foi segada.

17. Um outro anjo saiu do templo que há no céu, tendo também ele mesmo uma aguda fouce.

18. Saiu do altar outro anjo, que tinha poder sobre o fogo, e gritou em alta voz para o que tinha a fouce aguda, dizendo: "Mete a tua fouce aguda e vindima os cachos da vinha da terra, porque as suas uvas estão maduras." (ver nota)

19. E o anjo meteu a sua fouce à terra e vindimou a vinha da terra, e lançou (as uvas) no grande lagar da ira de Deus (no inferno).

20. O lagar foi pisado fora da cidade, e do lagar saiu sangue (que subiu) até aos freios dos cavalos, num espaço de mil. e seiscentos estádios.





“Cuide de estar sempre em estado de graça.” São Padre Pio de Pietrelcina