1. Então, tomando a palavra Elifaz de Teman, disse:

2. Se começarmos a falar-e, talvez tu o leves a mal;

3. mas, quem poderá conter a palavra concebida? Eis que ensinaste a muitos, deste vigor a mãos cansadas.

4. A s tuas palavras firmaram-os que vacilavam, fortaleceste os joelhos trêmulos;

5. porém, agora que veio sobre li (a desgraça), desfaleceste; feriu-te, e tu te perturbaste.

6. A tua piedade não é a tua esperança? A perfeição dos teus caminhos não é a lua segurança?

7. Lembra-te: que inocente pereceu jamais? ou quando foram os justos destruídos?

8. Quanto a mim, tenho visto que os que praticam a iniquidade, os que semeiam dores, as segam.

9. Perecem, a um sopro de Deus, são consumidos por um sopro da sua ira.

10. (Assim é abafado) o rugido do leão, o grito da leoa; (assim) os dentes dos cachorros dos leões são despedaçados. (ver nota)

11. O leão morre por falta de presa, e os cachorros dos leões são dispersos.

12. A mim foi dita uma palavra em segredo, os meus ouvidos, como às furtadelas, perceberam o seu débil som. (ver nota)

13. No horror de uma visão noturna, quando o sono costuma apoderar-se dos homens,

14. o medo e o tremor me assaltaram, e todos os meus ossos estremeceram.

15. Ao passar diante de mim um espirito, os meus cabelos se arripiaram.

16. Parou alguém diante (de mim), cujo rosto eu não conhecia, um espectro diante dos meus olhos, e ouvi uma voz como de branda viração (que dista):

17. Porventura o homem, em confronto com Deus, será tido por justo? ou será puro diante do seu Criador?

18. Ainda os mesmos que o servem, não são estáveis, e (até) nos seus anjos encontrou defeito.

19. Quanto mais aqueles que habitam casas de barro, os quais têm a terra por fundamento, serão consumidos como pela traça?

20. De manhã até à tarde são destroçados, sem que ninguém dê couta, para sempre.

21. A corda da sua tenda (vida) é cortada, perecem, morrem, mas não em sabedoria (isto é como insensatos).





“Onde há mais sacrifício, há mais generosidade.” São Padre Pio de Pietrelcina