1. Então Tobias deu um suspiro e começou a orar com lágrimas,

2. dizendo: Tu és justo, Senhor, todos os teus juízos são justos, todos os teus caminhos são misericórdia, verdade e justiça.

3. Agora, pois, Senhor, lembra-te de mim, não tomes vingança dos meus pecados, não te lembres dos meus delitos nem dos de meus pais.

4. Porque não obedecemos aos teus preceitos, por isso fomos entregues ao saque, ao cativeiro e à morte, e tornamo-nos objecto de riso e opróbrio para todas as nações, por entre as quais nos espaIhaste.

5. Agora, Senhor, os teus castigos são grandes, porque nós não procedemos segundo os teus preceitos, não andámos sinceramente na tua presença.

6. Senhor, trata-me segundo a tua vontade, mas manda que o meu espírito seja recebido em paz, porque é melhor para mim morrer do que viver.

7. Naquele mesmo dia aconteceu que Sara, filha de Raguel, que estava em Ecbatana, cidade dos Medos, ouviu-se ultrajar por uma das criadas de seu pai,

8. porque tinha sido casada com sete maridos, e um demônio chamado Asmodeu os tinha morto, quando eles se aproximavam dela.

9. Tendo Sara repreendido a criada por uma falta qualquer, ela respondeu-lhe: Não vejamos nós jamais sobre a terra filho nem filha nascida de ti, ó assassina dos teus maridos!

10. Porventura queres tu também matar-me a mim, como já mataste sete maridos? A estas palavras subiu Sara ao quarto mais alto da sua casa e durante três dias e três noites não comeu nem bebeu.

11. Perseverando em oração, pedia a Deus com lágrimas, que a livrasse deste opróbrio.

12. Ao terceiro dia, acabou a oração bendizendo o Senhor, assim:

13. Bendito é o teu nome, ó Deus de nossos pais, que, depois de te irares, usas de misericórdia, e no tempo da aflição perdoas os pecados aos que te invocam.

14. Para ti, Senhor, volto a minha face, para ti dirijo os meus olhos.

15. Peço-te, Senhor, que me livres do laço desta ignomínia, ou que, ao menos, me tires do cimo da terra.

16. Tu sabes, Senhor, que eu nunca desejei (ilicitamente) nenhum homem, que conservei a minha alma pura de toda a concupiscência.

17. Nunca acompanhei com gente licenciosa, nem tive comércio com os que se portam com leviandade.

18. Consenti em tomar marido por teu temor, e não por paixão.

19. Ou eu fui indigna deles, ou porventura eles não foram dignos de mim; talvez me tenhas reservado para outro marido (da minha mesma tribo de Neftali).

20. Não está ao alcance dos homens (perscrutar) os teus desígnios.

21. Todavia todo o que te rende culto tem por certo que a sua vida, se for provada, será coroada; se for atribulada, será livre; se for castigada, poderá acolher-se à tua misericórdia.

22. Com efeito, tu não te deleitas com a nossa perdição: depois da tormenta, dás a bonança, depois das lágrimas e suspiros, infundes a alegria.

23. Seja o teu nome, ó Deus de Israel, bendito pelos séculos.

24. Foram ouvidas, ao mesmo tempo, as orações de ambos, diante da majestade do sumo Deus.

25. Rafael, santo anjo do Senhor, foi enviado para curar Tobias e Sara, cujas orações tinham sido apresentadas simultaneamente diante do Senhor.





“A pessoa que nunca medita é como alguém que nunca se olha no espelho e, assim, não se cuida e sai desarrumada. A pessoa que medita e dirige seus pensamentos a Deus, que é o espelho de sua alma, procura conhecer seus defeitos, tenta corrigi-los, modera seus impulsos e põe em ordem sua consciência.” São Padre Pio de Pietrelcina