1. A prata tem um lugar donde se extrai, o ouro um lugar próprio, onde se acrisola.

2. O ferro tira-se da terra, coisas da e a pedra, derretida no fogo, torna-se em natureza metal.

3. (O homem) põe um fim às trevas, e ele mesmo investiga o fim de todas as coisas, (mesmo) a pedra escondida na escuridão e na sombra da morte.

4. Longe dos povoados abre galerias, ignoradas dos pés dos que passam; suspenso, (em cordas, o mineiro) oscila, longe dos homens (no fundo da mina).

5. Um a terra, que produz o pão, por baixo está como fogo;

6. as suas pedras contêm safiras, e os seus torrões partículas de ouro.

7. A águia não conhece esses caminhos, e olho do abutre não os viu;

8. as feras não os trilharam, nem o leão passou por lá.

9. Estende a sua mão contra os rochedos, remexe os montes desde as suas raízes.

10. Cortando os penhascos, abre galerias, e os seus olhos vêem aí tudo o que há de precioso.

11. Investiga também a profundidade dos rios, e põe a descoberto o que estava escondido.

12. Mas a sabedoria, onde se encontra ela? Qual é o lugar da inteligência?

13. O homem não conhece o seu caminho, nem ela se encontra na terra dos mortais.

14. O abismo diz: Ela não está em mim; e o mar publica: Ela não está comigo.

15. Não é dada pelo mais puro ouro, nem é comprada a peso de prata.

16. Não se põe na balança com o ouro de Ofir, nem com o precioso berilo nem com a safira.

17. Não se lhe iguala o ouro nem o vidro (fino), e não é dada em troca por vasos de ouro;

18. O coral e o cristal não se comparam com ela; a sabedoria vale mais que as pérolas.

19. Não se lhe iguala o topázio da Etiópia, nem é comparada com o ouro mais puro.

20. Donde vem, pois, a sabedoria, e onde é que se encontra a inteligência?

21. Está escondida aos olhos de todos os viventes, até às aves do céu está oculta.

22. O inferno e a morte dizem: Aos nossos ouvidos chegou a sua fama.

23. Deus conhece o caminho para a encontrar, ele sabe onde se encontra,

24. porque ele vê até aos confins do mundo, e vê tudo o que há debaixo do céu.

25. Quando deu o seu peso aos ventos, e regulou as águas com medida,

26. quando prescreveu uma lei às chuvas e traçou um caminho aos relâmpagos,

27. então ele a viu e a mediu, e a estabeleceu e a perscrutou.

28. E disse ao homem: O temor do Senhor é a (verdadeira) sabedoria; o apartar-se do mal é a inteligência.





“Invoquemos sempre o auxílio de Nossa Senhora.” São Padre Pio de Pietrelcina