1. Agora, ó Israel, ouve os preceitos e as determinações que eu te ensino, para que, observando-os, vivas e entres na posse da terra que o Senhor Deus de vossos pais vos há-de dar.

2. Não acrescentareis, nem tirareis nada à palavra que vos digo; guardai os mandamentos do Senhor vosso Deus, que eu vos intimo.

3. Os vossos olhos viram tudo o que o Senhor fez contra Beelfegor, como ele exterminou do meio de vós todos os seus adoradores.

4. Mas vós, que estais unidos ao Senhor vosso Deus, estais todos vivos até hoje.

5. Sabeis que eu vos ensinei os preceitos e as determinações, conforme o Senhor meu Deus me mandou: assim os praticareis na terra que estais para possuir.

6. Guardai-os, ponde-os em prática, porque neles está a vossa sabedoria e inteligência perante os povos, que, ouvindo todos estes preceitos, dirão: Eis um povo sábio e inteligente, uma nação grande.

7. Não há outra nação tão grande, que tenha deuses tão próximos a si, como o nosso Deus, que está presente a todas as nossas preces.

8. Onde há outro povo tão ilustre, que tenha cerimônias e ordenações justas, e toda esta lei que eu exporei hoje diante dos vossos olhos?

9. Guarda-te, pois, a ti mesmo e a tua alma com solicitude. Não esqueças as coisas que teus olhos viram, e não se apaguem do teu coração durante todos os dias da tua vida. Tu as ensinarás a teus filhos e a teus netos,

10. desde o dia em que te apresentaste diante do Senhor teu Deus, em Horeb, quando o Senhor me falou, dizendo: Ajunta-me o povo, para que ouçam as minhas palavras, e aprendam a temer-me durante o tempo que viverem na terra, e ensinem isso mesmo a seus filhos.

11. Vós aproximastes-vos das faldas do monte, que ardia até ao céu, e em que havia trevas, nuvens e escuridão.

12. E o Senhor falou-vos do meio do fogo. Vós ouvistes a Voz das suas palavras, mas não vistes figura alguma.

13. Ele mostrou-vos o seu pacto, que ordenou que observásseis, e os dez mandamentos, que escreveu em duas tábuas de pedra.

14. Mandou-me naquele tempo que vos ensinasse as cerimónias e as leis, que vós deveis observar na terra, que estais para possuir.

15. Vós não vistes figura alguma no dia em que o Senhor vos falou sobre o Horeb do meio do fogo.

16. Acautelai, pois, as vossas almas, não suceda que, enganados, façais para vós alguma imagem esculpida, quer seja figura de homem quer de mulher,

17. ou representação de qualquer animal que há sobre a terra, ou das aves, que voam debaixo do céu,

18. ou dos répteis que se movem sobre a terra, ou dos peixes que vivem nas águas, debaixo da terra;

19. não suceda que, levantando os olhos ao céu, e vendo o sol, a lua, e todas as estrelas do céu, caiais em erro, adorando e prestando culto a essas coisas que o Senhor teu Deus criou para servir a todas as gentes, que estão debaixo do céu.

20. O Senhor tomou-vos, e tirou-vos da fornalha férrea do Egipto, para serdes o povo da sua herança, como sois hoje.

21. O Senhor irou-se contra mim, por causa dos vossos discursos, e jurou que eu não passaria do Jordão e que não entraria na terra excelente que está para vos dar.

22. Vou morrer neste país, não passarei o Jordão; passá-lo-eis vós, e possuireis essa bela terra.

23. Vê, não te esqueças jamais do pacto que o Senhor teu Deus fez contigo; não faças nenhuma representação esculpida daquelas coisas, que o Senhor proibiu fazer,

24. porque o Senhor teu Deus é um fogo devorador, um Deus zeloso.

25. Se tiverdes filhos e netos, e, após longa permanência nessa terra, vos corromperdes e fizerdes para vós ídolos de qualquer espécie, cometendo o mal diante do Senhor vosso Deus, de modo que o provoqueis à ira,

26. — invoco hoje como testemunhas o céu e a terra, — certamente sereis bem cedo exterminados da terra, que, passado o Jordão, estais para possuir: não habitareis mais nela por muito tempo, mas o Senhor vos destruirá,

27. vos espalhará entre todos os povos, e ficareis poucos entre as nações, a que o Senhor vos conduzir.

28. Lá servireis a deuses, que foram fabricados por mão dos homens, de pau e de pedra, os quais não vêem, nem ouvem, nem comem, nem sentem.

29. Quando lá procurares o Senhor teu Deus, encontrá-lo-ás, contanto que o busques de todo o teu coração e com toda a contrição da tua alma.

30. Depois que tiverem acontecido todas as coisas que foram preditas, voltar-te-ás nos últimos tempos para o Senhor teu Deus, e ouvirás a sua voz,

31. porque o Senhor teu Deus, é um Deus misericordioso: não te abandonará nem te extinguirá inteiramente, nem se esquecerá do pacto que jurou a teus pais.

32. Interroga os tempos antigos que te precederam, desde o dia em que Deus criou o homem sobre a terra, e desde uma extremidade do céu até à outra, se aconteceu jamais coisa semelhante, se se ouviu dizer

33. que um povo escutasse a voz de Deus, que lhe falava do meio do fogo, como tu escutaste, sem perder a vida;

34. que Deus viesse tomar para si um povo entre as nações, por meio de provas, sinais e portentos, por meio de batalhas, com mão poderosa e braço estendido, por meio de coisas espantosas, como fez o Senhor vosso Deus no Egipto diante dos teus olhos,

35. para que soubesses que o Senhor é (o verdadeiro) Deus, e que não há outro fora dele.

36. Fez-te ouvir a sua voz do céu para te instruir, e sobre a terra te mostrou o seu fogo grandíssimo, e tu ouviste as suas palavras do meio do fogo.

37. Visto que amou teus pais, escolheu a sua posteridade depois deles, e tirou-te do Egipto, caminhando diante de ti com o seu grande poder,

38. para exterminar à tua chegada nações maiores e mais fortes do que tu, e para te introduzir nas suas terras e dar-tas como herança, segundo tu estás hoje a ver.

39. Reconhece, pois, neste dia, considera no teu coração que o Senhor é o único (verdadeiro) Deus desde o alto do céu até ao mais profundo da terra, e não há outro.

40. Guarda os seus preceitos e os seus mandamentos, que eu te prescrevo, para que te suceda bem a ti, e aos teus filhos depois de ti, e permaneças por Iongo tempo na terra, que o Senhor teu Deus está para te dar.

41. Então Moisés separou três cidades na banda oriental do Jordão,

42. a fim de que se refugie a elas aquele que sem querer tiver morto o seu próximo, sem ser seu inimigo, e possa salvar a sua vida, acolhendo-se a uma destas cidades:

43. Bolsor, no deserto, situada na planície da tribo de Ruben; Ramoth, em Galaad, que está na tribo de Gad; e Golan, em Basan, que está na tribo de Manassés.

44. Esta é a lei que Moisés propôs aos olhos dos filhos de Israel,

45. estes são os preceitos, as cerimônias e as determinações que ele prescreveu aos filhos de Israel, quando saíram do Egipto,

46. estando da banda daquém do Jordão, no vale (que fica) defronte do templo de Fogor, na terra de Seon, rei dos Amorreus, que habitou em Hesebon, a quem Moisés derrotou. Os filhos de Israel, que saíram do Egipto,

47. tomaram posse da sua terra, e da terra de Og, rei de Basan, os dois reis dos Amorreus, que reinavam da banda daquém do Jordão para a parte do nascente,

48. desde Aroer, que está situada sobre a margem da torrente de Arnon, até ao monte Sião, que de chama também Hermon,

49. com toda a planície do lado oriental do Jordão, até ao mar do deserto, e até às faldas do monte Fasga.





“Você deve ter sempre prudência e amor. A prudência tem olhos; o amor tem pernas. O amor, como tem pernas, gostaria de correr a Deus. Mas seu impulso de deslanchar na direção dEle é cego e, algumas vezes, pode tropeçar se não for guiado pela prudência, que tem olhos.” São Padre Pio de Pietrelcina