1. Depois destas coisas, no reinado de Artaxerxes, rei dos Persas, Esdras, filho de Saraias, filho de Azarias, filho de Helcias,

2. filho de Selam, filho de Sadoc, filho de Aquitob,

3. filho de Amarias, filho de Azarias, filho de Maraiol,

4. filho de Zaraias, filho de Ozi, filho de Bocci,

5. filho de Abisué, filho de Fineias, filho de Eleazar, filho de Aarão, que foi o primeiro sacerdote.

6. Este Esdras veio de Babilônia: era um escriba muito hábil na lei de Moisés, que o Senhor Deus tinha dado a Israel. O rei concedeu-lhe tudo o que ele pediu, porque a mão do Senhor seu Deus era com ele.

7. Vários dos filhos de Israel, dos filhos dos sacerdotes, dos filhos dos Levitas, dos cantores, dos porteiros e dos Natineus foram para Jerusalém no sétimo ano do reinado de Artaxerxes.

8. Chegaram a Jerusalém no quinto mês do sétimo ano deste rei.

9. Ele partiu de Babilônia no primeiro dia do primeiro mês, e chegou a Jerusalém no primeiro dia do quinto mês, porque a mão benéfica do seu Deus era com ele.

10. Esdras tinha efectivamente preparado o seu coração para buscar a lei do Senhor e para cumprir e ensinar em Israel os seus preceitos e as suas ordenações.

11. Esta é a cópia da carta, que o rei Artaxerxes deu a Esdras, sacerdote e escriba, instruído nas palavras da lei e dos preceitos do Senhor relativos a Israel:

12. Artaxerxes, rei dos reis, a Esdras, sacerdote e escriba versado na lei do Deus do céu, etc.

13. Foi decretado por mim que no meu reino todo aquele do povo de Israel, e dos seus sacerdotes e Levitas, que queira ir para Jerusalém, vá contigo.

14. Com efeito, tu és enviado pelo rei e pelos seus sete conselheiros a inspeccionar a Judeia e Jerusalém, no que diz respeito à lei do teu Deus, a qual está na tua mão,

15. e a levar a prata e o ouro, que o rei e os seus conselheiros ofereceram espontaneamente ao Deus de Israel, cujo tabernáculo está em Jerusalém.

16. Toda a prata e o ouro, que encontrares em toda a província de Babilônia e que o povo quiser oferecer, e tudo o que os sacerdotes espontâneamente oferecerem à casa do seu Deus, que está em Jerusalém,

17. recebe-o com liberdade; cuida de comprar com este dinheiro novilhos, carneiros, cordeiros, assim como o necessário para as oblações e libações, e oferece-as sobre o altar do templo do vosso Deus, que está em Jerusalém.

18. Tu e teus irmãos disporeis, como vos aprouver, do resto da prata e do ouro, conforme a vontade do vosso Deus.

19. Os utensílios, que te foram dados para o serviço de casa do teu Deus, coloca-os na presença do Deus de Jerusalém.

20. Quanto às outras coisas, que forem necessárias para a casa do teu Deus, tudo o que te for preciso gastar, ser-te-á dado do tesouro real,

21. e do que é meu. Eu, o rei Artaxerxes, ordeno a todos os tesoureiros do erário público, que estão além do rio, que tudo o que vos pedir Esdras, sacerdote, escriba da lei do Deus do céu, lho deis sem demora:

22. prata, até à quantia de cem talentos; trigo, até cem coros; vinho, até cem batos; azeite, até cera batos; sal, sem medida. (ver nota)

23. Tudo o que pertence ao culto do Deus do céu, seja dado pontualmente à casa do Deus do céu, não suceda irar-se ele contra o reino do rei e de seus filhos.

24. Nós vos notificamos também que, relativamente a todos os sacerdotes, Levitas, cantores, porteiros, Natineus e ministros da casa deste Deus, não tereis poder de lhes impor imposto, nem tributo, nem outros encargos.

25. E tu, Esdras, segundo a sabedoria que recebeste do teu Deus, estabelece juízes e presidentes, que julguem todo o povo que está além do rio, isto é, todos aqueles que conhecem a lei do teu Deus, e ensina também livremente aos que a ignoram.

26. "Todo o que não observar exactamente a lei do teu Deus e a ordem do rei, será condenado ou à morte ou a desterro, ou a alguma multa sobre os seus bens, ou à prisão."

27. Bendito seja o Senhor Deus de nossos pais, que pôs coração do rei este pensamento de glorificar a casa do Senhor, que está em Jerusalém,

28. e que inclinou para mim a benevolência do rei, dos seus conselheiros e de todos os príncipes poderosos da corte do rei. Eu, confortado pela mão do Senhor meu Deus, que estava sobre mim, juntei os principais de Israel para virem comigo.





“Menosprezai vossas tentações e não vos demoreis nelas. Imaginai estar na presença de Jesus. O crucificado se lança em vossos braços e mora no vosso coração. Beijai-Lhe a chaga do lado, dizendo: ‘Aqui está minha esperança; a fonte viva da minha felicidade. Seguro-vos, ó Jesus, e não me aparto de vós, até que me tenhais posto a salvo’”. São Padre Pio de Pietrelcina