1. Os Filisteus combatiam contra Israel, e os Israelitas fugiram diante dos Filisteus, caindo (muitos deles) mortos no monte de Gelboé.

2. Avançando os Filisteus no alcance de Saul e de seus filhos, mataram Jónatas, Abinadab e Melquisua, filhos de Saul.

3. O combate tornou-se mais violento contra Saul; os frecheiros reconheceram-no e traspassaram-no com as suas setas.

4. Saul disse ao seu escudeiro: Desembaínha a tua espada e mata-me, não suceda virem estes incircuncidados zombar de mim. Todavia o escudeiro, possuído de temor, não quis fazer tal; então Saul pegou na sua espada e lançou-se sobre ela.

5. Vendo isto o seu escudeiro, vendo que Saul certamente estava morto, ele mesmo se lançou também sobre a sua própria espada, e morreu.

6. Morreu Saul e três filhos seus, e toda a sua família pereceu juntamente.

7. Os Israelitas que habitavam nos campos, ao verem que os homens de Israel fugiram e que estavam mortos Saul e seus filhos, abandonaram as suas cidades, e espalharam-se cada um para seu lado. Vieram (então) os Filisteus e estabeleceram-se nelas.

8. No dia seguinte, tirando os Filisteus os despojos dos mortos, encontraram Saul e os seus filhos estendidos no monte de Gelboé.

9. Tendo-o despojado e cortado a cabeça e tirado as armas, levaram-no para a sua terra, para ser visto por todas as partes, e para que fosse exposto nos templos dos seus ídolos e aos olhos do povo.

10. Consagraram as suas armas no templo do seu deus e pregaram a cabeça no templo de Dagon.

11. Tendo os habitantes de Jabes de Galaad ouvido tudo o que os Filisteus tinham feito a Saul,

12. juntaram-se os mais fortes deles, partiram e tiraram os cadáveres de Saul e dos seus filhos, trouxeram-nos para Jabes, e enterraram os seus ossos debaixo do carvalho que havia em Jabes, e jejuaram sete dias.

13. Morreu Saul por causa das suas iniquidades, por ter desobedecido ao mandamento que o Senhor lhe tinha imposto, e consultado os evocadores dos mortos.

14. Não consultou o Senhor, por isso ele o matou, e transferiu o seu reino para Davide, filho de Isaí.

26. Os mais valentes do exército eram: Asael irmão de Joab, Alcanan de Belém, filho de Dodo.





“Quando a videira se separa da estaca que a sustenta, cai, e ao ficar na terra apodrece com todos os cachos que possui. Alerta, portanto, o demônio não dorme!” São Padre Pio de Pietrelcina