1. Sucedeu, pois, que, aos quatrocentos e oitenta anos de saída dos filhos de Israel da terra do Egipto, no quarto ano do reinado de Salomão, no mês de Zio, (que é o segundo mês do ano) se começou a edificar a casa do Senhor.

2. A casa que Salomão edificou em honra do Senhor, tinha setenta côvados de comprido, vinte de largo, e trinta de alto.

3. Havia um pórtico diante do templo, de vinte côvados de comprido, segundo a medida da largura do templo, e de dez côvados de largo diante da face do templo.

4. E fez no templo janelas com grades de madeira.

5. Construiu, encostadas às paredes do templo, uma edificação de vários andares, que rodeava o templo e o santuário. Cercou o edifício de quartos laterais.

6. O andar inferior tinha cinco côvados de largo, o andar do meio seis côvados de largo, e o terceiro andar sete côvados de largo. Pôs as traves ao redor da casa pela parte de fora, de tal modo que não ficassem metidas nas paredes do templo.

7. Na construção do templo, apenas se empregaram pedras lavradas na pedreira, de modo que não se ouviu martelo nem cinzel nem instrumento algum de ferro, enquanto ela se edificava.

8. A porta do lado do meio estava na parte direita da casa. Subia-se por uma escada em caracol ao andar do meio, e deste ao terceiro.

9. Depois de concluído o edifício, forrou as paredes interiores de tábuas de cedro, desde o pavimento ao tecto.

10. Construiu quartos de madeira em redor de todo o edifício, de cinco côvados de altura, ligados ao edifício por traves de cedro.

11. O Senhor falou a Salomão assim:

12. (Em atenção a) esta casa, que tu edificas, (se andares nos meus preceitos, executares as minhas ordens e guardares todos os meus mandamentos, caminhando por eles) eu cumprirei, relativamente a ti, as palavras que disse a Davide, teu pai.

13. Habitarei no meio dos filhos de Israel, e não desampararei o meu povo de Israel.

14. Salomão terminou a construção do templo.

15. Guarneceu as paredes do edifício pelo interior, de tábuas de cedro, desde o pavimento até ao mais alto das paredes, até ao tecto; revestiu-as por dentro com madeira de cedro, e cobriu o pavimento da casa com tábuas de cipreste.

16. Revestiu com tábuas de cedro os vinte côvados a partir do fundo do templo, desde o pavimento até ao mais alto, e destinou-o para a casa interna do santuário ou Santo dos Santos.

17. O templo, desde a porta do santuário, tinha quarenta côvados,

18. e todo o edifício, no interior, estava forrado de cedro, tendo suas entalhaduras e junturas feitas com grande arte, e entalhes de relevo; tudo estava coberto de tábuas de cedro; não se descobria coisa alguma de pedra na parede.

19. Quanto ao santuário, tinha-o feito no meio do aliança do Senhor.

20. O santuário tinha vinte côvados de comprido, vinte côvados de largo e vinte côvados de alto. Salomão revestiu-o de ouro fino; o altar cobriu-o de cedro.

21. Cobriu, além disso, de puríssimo ouro, a parte do templo que estava diante do santuário, e pregou as lâminas (de ouro) com pregos de ouro.

22. Nada havia no templo que não estivesse coberto de ouro: até cobriu de ouro todo o altar do oráculo.

23. Pôs no santuário dois querubins feitos de pau de oliveira, de dez côvados de altura.

24. Uma das asas dum querubim tinha cinco côvados, e a outra asa tinha também cinco côvados; isto é, iam dez côvados, desde a extremidade duma das asas até a extremidade da outra.

25. O segundo querubim tinha também dez côvados. A dimensão e o feitio de ambos os querubins eram iguais,

26. isto é, o primeiro querubim tinha dez côvados de altura, e o segundo querubim da mesma sorte.

27. Pôs os querubins no meio do templo interior; os querubins tinham as suas asas estendidas, de modo que a asa do primeiro tocava numa parede, e a asa do segundo tocava na outra parede, enquanto que as outras duas asas se encontravam, no meio do santuário.

28. Cobriu também de ouro os querubins.

29. Fez adornar todas as paredes do templo em roda com várias molduras e relevos, figurando nelas querubins, palmas e flores desabrochadas.

30. Cobriu também de ouro o pavimento do edifício, tanto o do santuário como o do templo.

31. E fez à entrada do santuário umas pequenas portas de pau de oliveira, e o seu enquadramento com os batentes ocupava a quinta parte do muro.

32. Nos dois batentes de cada porta de madeira de oliveira entalhou figuras de querubins, palmas e flores desabrochadas, e cobriu-as de ouro; cobriu de ouro tanto os querubins como as palmas, e todas as outras coisas.

33. E para a entrada do templo fez batentes de madeira de oliveira, que ocupavam a quarta parte do muro,

34. e duas portas de cipreste uma dum lado outra doutro; cada uma das portas tinha dois batentes, e abria-se, permanecendo os batentes unidos entre si.

35. Esculpiu nelas querubins, palmas e grinaldas de flores, e cobriu tudo de chapas de ouro, ajustado à talha.

36. Edificou também o átrio interior com três ordens de pedras polidas, e com uma ordem de paus de cedro.

37. Os fundamentos da casa do Senhor foram lançados no quarto ano, no mês de Zio,

38. e no ano undécimo, no mês de Bul, que é o oitavo mês, foi a casa inteiramente acabada em todas as suas partes, e em todos os seus utensílios. Salomão edificou-a em sete anos.





“Sejam como pequenas abelhas espirituais, que levam para sua colméia apenas mel e cera. Que, por meio de sua conversa, sua casa seja repleta de docilidade, paz, concórdia, humildade e piedade!” São Padre Pio de Pietrelcina