1. Quando Salomão acabou de edificar a casa do Senhor, o palácio do rei e tudo o que tinha desejado fazer,

2. apareceu-lhe o Senhor segunda vez, como tinha aparecido em Gabaon.

3. O Senhor disse-lhe: Eu ouvi a tua oração e a súplica, que me dirigiste; santifiquei esta casa, que me edificaste, a fim de nela estabelecer para sempre o meu nome: nela estarão sempre os meus olhos e o meu coração.

4. E tu, se andares na minha presença, como andou teu pai, em simplicidade e rectidão de coração, se fizeres tudo o que tenho mandado, guardando as minhas leis e as minhas ordenações,

5. eu estabelecerei o trono do teu reino sobre Israel para sempre, como prometi a Davide, teu pai, dizendo: Não faltará nunca um homem da tua linhagem no trono de Israel.

6. Porém se, obstinadamente, vos desviardes de mim, vós e vossos filhos, não me seguindo nem guardando os preceitos e as ordens que vos dei, se vos retirardes e prestardes culto a deuses estranhos, e os adorardes,

7. eu exterminarei Israel da terra que lhe dei, dançarei para longe da minha presença o templo que consagrei ao meu nome, e Israel será objecto de sarcasmo e de troça para todos os povos.

8. Esta casa (feita em ruínas) servirá de exemplo (da minha justiça); todo o que passar por diante dela, ficará pasmado, desprezá-la-á e dirá: Por que tratou o Senhor assim esta terra e este templo?

9. Responder-lhe-ão: Porque estes povos deixaram o Senhor, seu Deus, que tirou seus pais da terra do Egipto, porque seguiram deuses estranhos, prostraram-se diante deles e adoraram-nos; por isso o Senhor descarregou sobre eles todo este mal.

10. Passados os vinte anos, durante os quais Salomão edificou as duas casas, Isto é, a casa do Senhor, e a casa do rei,

11. (mandando Hirão, rei de Tiro, a Salomão madeira de cedro e cipreste, e ouro, tanto quanto era mister) Salomão deu a Hirão vinte cidades no país da Galileia.

12. Hirão saiu de Tiro para ver as cidades que Salomão lhe tinha dado, mas não lhe agradaram,

13. e disse: São estas, irmão, as cidades que me deste? E chamou-as terra de Cabul, (nome que conservam) até ao dia de hoje.

14. (Hirão tinha também mandado ao rei Salomão cento e vinte talentos de ouro),

15. O motivo que o rei Salomão teve para lançar um tributo (sobre o seu povo) foi a grande despesa que fez para edificar a casa do Senhor, a sua casa, Melo, os muros de Jerusalém, Heser, Magedo e Gazer.

16. Faraó, rei do Egipto, subiu, tomou Gazer e queimou-a, matando os Cananeus que habitavam na cidade, e deu-a em dote a sua filha, mulher de Salomão.

17. Salomão reedificou Gazer, Betoron-a-Baixa,

18. Balaat e Palmira, na terra do deserto.

19. Fortificou todas as aldeias destinadas a entrepostos, e que não tinham muros, as cidades destinadas a carros (de guerra), as cidades destinadas a gente de cavalo, e tudo o que lhe aprouve edificar em Jerusalém, no Líbano e em toda a extensão dos seus domínios,

20. Toda a gente que tinha ficado dos Amorreus, dos Heteus, dos Ferezeus, dos Heveus, dos Jebuseus, que não eram dos filhos de Israel,

21. os filhos destes (povos) que tinham ficado no país, que os filhos de Israel não puderam exterminar, Salomão empregou-os como escravos de trabalhos pesados, o que ainda hoje, continuam a ser.

22. Quanto aos filhos de Israel, Salomão determinou que nenhum servisse (de escravo), mas que fossem seus homens de guerra, seus servidores, seus primeiros oficiais, capitães, comandantes dos carros de guerra e da cavalaria.

23. Havia quinhentos e cinqüenta homens estabelecidos sobre todas as obras de Salomão, os quais tinham o povo sujeito às suas ordens e eram os superintendentes de todas as obras determinadas.

24. Veio a filha de Faraó da cidade de Davide para a casa, que lhe tinha edificado Salomão, o qual então edificou Melo.

25. Oferecia Salomão, três vezes cada ano, holocaustos e vitimas pacíficas, sobre o altar que tinha levantado ao Senhor, e queimava perfumes diante do Senhor. E completou-se o templo.

26. Equipou também o rei Salomão uma frota em Asiongaber, que é perto de Ailat, na praia do mar Vermelho, na terra da Iduméa.

27. Hirão mandou nesta frota alguns dos seus servos, homens marinheiros, entendidos em náutica, juntamente com os servos de Salomão.

28. Eles, tendo chegado a Ofir, tomaram lá quatrocentos e vinte talentos de ouro, que levaram ao rei Salomão.





“Que Nossa Senhora aumente a graça em você e a faça digna do Paraíso”. São Padre Pio de Pietrelcina