1. Todas as tribos de Israel foram ter com Davide a Hebron, dizendo: Aqui nos tens, somos teus ossos e tua carne (porque descendemos todos de Jacob).

2. Ainda quando Saul era rei sobre nós, já eras tu o que conduzias e reconduzias Israel. Demais, o Senhor disse-te: Tu apascentarás o meu povo de Israel, serás condutor de Israel.

3. Foram também os anciães de Israel ter com o rei a Hebron, e ali o rei Davide fez aliança com eles diante do Senhor, e eles ungiram Davide rei sobre Israel.

4. Davide tinha trinta anos, quando começou a reinar, e reinou quarenta anos.

5. Reinou, em Hebron, sete anos e meio sobre Judá; trinta e três anos, em Jerusalém, sobre todo o Israel e sobre Judá.

6. O rei foi com toda a gente que tinha consigo a Jerusalém, contra os Jebuseus, que moravam, naquele território. Estes disseram a Davide: Não entrarás cá, sem que lances fora os cegos e os coxos, os quais estão dizendo: Davide não entrará aqui. (ver nota)

7. Porém Davide tomou a fortaleza de Sião, que é a cidade de Davide.

8. Naquele dia Davide disse: Todo o que ferir os Jêbuseus e atingir o alto da fortaleza e expulsar os cegos e os coxos, inimigos de Davide, (será chefe e príncipe). Por isso se diz em provérbio: Nem cego nem coxo entrarão no templo.

9. Davide habitou na fortaleza, e chamou-a cidade de Davide; levantou edifícios ao redor, desde Melo, e no interior.

10. Davide ia-se fortificando e crescendo mais e mais, e o Senhor Deus dos exércitos era com ele.

11. Hiram, rei de Tiro, enviou mensageiros a Davide, com madeira de cedro, assim como carpinteiros e canteiros que edificaram uma casa a Davide.

12. Davide reconheceu que o Senhor o tinha confirmado rei sobre Israel, e que exaltava o seu reino por amor do seu povo de Israel.

13. Davide tomou outras mulheres, de segunda e primeira ordem, de Jerusalém, depois que veio de Hebron, e teve delas filhos e filhas.

14. Estes são os nomes dos que lhe nasceram em Jerusalém: Samua, Sobab, Natan, Salomão,

15. Jebabar, Elisua, Nefeg,

16. Jafa, Elisama, Elioda e Elifalet.

17. Os Filisteus, ouvindo dizer que Davide tinha sido ungido rei sobre Israel, subiram todos em busca de Davide. Sabendo isto Davide, retirou-se a um lugar forte.

18. Os Filisteus fizeram uma incursão pelo vale dos Refains.

19. Davide consultou o Senhor, dizendo: Marcharei contra os Filisteus? Entregarmos-ás tu nas minhas mãos? O Senhor respondeu a Davide: Vai, que eu entregarei os Filisteus nas tuas mãos.

20. Foi, pois, Davide a Baal Farasim, onde os derrotou, e disse: O Senhor irrompeu sobre os meus inimigos à minha vista, como águas que irrompem sobre os diques, despedaçando-os. Por isso aquele lugar foi chamado Baal Farasim.

21. Os Filisteus deixaram lá os seus ídolos, os quais Davide e a sua gente levaram (para queimar).

22. Os Filisteus voltaram novamente e espalharam-se pelo vale dos Refains.

23. Davide consultou o Senhor: Irei eu contra os Filisteus, e entregá-los-ás nas minhas mãos? O Senhor respondeu-lhe: Não vás direto a eles, mas dá volta por detrás deles, e irás contra eles, do lado dos balsameiros.

24. Quando ouvires um rumor como de passos, entre as copas dos balsameiros, então travarás a batalha, porque o Senhor marchará então diante de ti, para ferir o acampamento dos Filisteus.

25. Fez, pois, Davide como o Senhor lhe tinha mandado, e derrotou os Filisteus desde Gabaa até chegar a Gezer.





“O amor e o temor devem sempre andar juntos. O temor sem amor torna-se covardia. São Padre Pio de Pietrelcina