1. Caríssimos, eis que esta é a segunda epístola que vos escrevo; em ambas procuro despertar em vós, com lembranças, uma sã inteligência.

2. Lembrai-vos das coisas preditas pelos santos profetas e dos mandamentos do Senhor e Salvador, transmitidos pelos vossos Apóstolos,

3. Sabei antes de tudo que nos últimos tempos virão zombadores cheios de zombarias, vivendo segundo as suas concupiscências.

4. Dirão : "Onde está a promessa da sua vinda? Desde que os (nossos) pais morreram, tudo continua como no princípio da criação."

5. Mas isto é porque eles ignoram voluntàriamente que antigamente existiram os céus e uma terra, que a palavra de Deus fez surgir da água e pela água,

6. e que por estas mesmas causas o mundo de então pereceu submergido na água.

7. Mas os céus e a terra, que agora existem, são guardados pela mesma palavra e reservados para o fogo, no dia do juízo e da perdição dos homens impios. (ver nota)

8. Há porém, uma coisa, caríssimos, que não deveis ignorar: é que um dia, diante do Senhor, é como mil anos (diante dos homens), e mil anos (diante dos homens) como um dia (diante do Senhor).

9. Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns pensam, mas usa de paciência convosco, não querendo que nenhum pereça, mas que todos se convertam à penitência.

10. Todavia, como um ladrão, virá o dia do Senhor, no qual passarão os céus com grande estrondo, e os elementos com o calor se dissolverão e a terra como as obras que há nela será consumida.

11. Portanto, visto que todas estas coisas estão destinadas a ser desfeitas, quais não deveis ser em piedade e santidade de vida,

12. esperando e correndo ao encontro da vinda do dia de Deus, no qual os céus, ardendo, se desfarão, e os elementos, com o ardor do fogo, se hão-de fundir!

13. Realmente esperamos, segundo a sua promessa, novos céus e uma nova terra, nos quais habite a justiça.

14. Portanto, caríssimos, esperando estas coisas, procurai com diligência ser encontrados por ele sem mancha e irrepreensíveis na paz (com Deus).

15. Crede que a longanimidade de nosso Senhor é para vossa salvação, conforme também nosso irmão carissimo Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada,

16. como aliás faz em todas as suas cartas, em que fala disto, nas quais há alguns pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes (na fé) adulteram (como também as outras Escrituras) para sua própria perdição.

17. Vós, pois, caríssimos, estando prevenidos, acautelai-vos, para que não caiais da vossa firmeza, levados pelo erro destes insensatos,

18. mas crescei na graça e no conhecimento do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele (seja dada) glória, agora e no dia da eternidade.





“Deus sempre nos dá o que é melhor para nós.” São Padre Pio de Pietrelcina