1. Foi Roboão a Siquém, porque todo o Israel se tinha juntado ali para o constituir rei.

2. Porém Jeroboão, filho de Nabat, achando-se ainda no Egipto, refugiado da face do rei Salomão, ao saber da sua morte, voltou do Egipto,

3. porque o tinham mandado chamar. Foi, então, Jeroboão, com todo o povo de Israel falar a Roboão; dizendo:

4. Teu pai impôs-nos um jugo duríssimo; tu, pois, agora, suaviza alguma coisa a dureza do governo de teu pai, aquele pesadíssimo jugo que ele nos impôs, e nós te serviremos.

5. Roboão respondeu-lhes: Ide-vos, e daqui a três dias vinde ter comigo. Tendo-se retirado o povo,

6. teve o rei Roboão conselho com os anciães que Salomão, seu pai, tinha junto de si, quando vivia, e disse-lhes: Que me aconselhais vós que eu responda a este povo?

7. Eles disseram-lhe: Se hoje fores amável com este povo e cederes, se lhe falares com brandura, eles serão teus servos para sempre.

8. Ele, porém, abandonou o conselho que lhe tinham dado os anciães, e consultou os jovens que tinham sido criados com ele e que lhe assistiam.

9. Disse-lhes: Que me aconselhais vós que eu responda a este povo, que me pediu que suavizasse um pouco o jugo que meu pai lhe impôs?

10. Disseram-lhe os jovens que tinham sido criados com ele: Assim dirás a este povo que te falou, dizendo: Teu pai tornou o nosso jugo pesadíssimo, tu alivia-nos assim lhe dirás: O meu dedo mínimo é mais grosso do que o costado de meu pai.

11. Se meu pai pôs sobre vós um jugo pesado, eu ainda o farei mais pesado; meu pai fustigou-vos com açoutes, eu acoutar-vos-ei com escorpiões.

12. Voltou, pois, Jeroboão e todo o povo a Roboão, no terceiro dia, conforme, o rei lhes tinha ordenado, dizendo: Tornai a vir ter comigo daqui a três dias.

13. O rei respondeu duramente ao povo, desprezando o conselho que os anciães lhe tinham dado.

14. Falou-lhes conforme o que lhe tinham aconselhado os jovens: Meu pai impôs-vos um jugo pesado, eu ainda aumentarei o peso do vosso jugo; meu pai fustigou-vos com açoutes, eu açoutar-vos-ei com escorpiões.

15. E o rei não deu ouvidos ao povo, porque o Senhor tinha apartado dele a sua face, para realizar a palavra que tinha dito a Jeroboão, filho de Nabat, por meio do profeta Alas, Silonita.

16. Vendo o povo que o rei o não queria ouvir, respondeu-lhe, dizendo: Que parte temos nós com (a família de) Davide? Que herança (ou proveito) com o filho de Isai? Vai, pois, para as tuas tendas, ó Israel, e tu, ó (descendente de) Davide, trata agora da tua casa. Israel retirou-se para as suas tendas (e sacudiu o jugo de Roboão).

17. Roboão, todavia, reinou sobre todos os filhos de Israel, que habitavam nas cidades de Judá.

18. O rei Roboão enviou Adurão que era o superintendente dos tributos (para apaziguar os ânimos), mas todo o Israel o apedrejou, e ele morreu. Então o rei Roboão tomou a toda a pressa o seu carro e fugiu para Jerusalém.

19. E Israel separou-se da casa de Davide, até ao dia de hoje.

20. Quando todo o Israel soube que Jeroboão tinha voltado, reunidos em cortes, mandaram-no chamar e aclamaram-no rei sobre todo o Israel. Não houve ninguém que seguisse a casa de Davide, senão sòmente a tribo de Judá.

21. Roboão, quando chegou a Jerusalém , fez juntar toda a casa de Judá e a tribo de Benjamim, cento e oitenta mil homens de guerra, escolhidos, a fim de pelejar contra a casa de Israel, e reduzir o reino à obediência de Roboão, filho de Salomão.

22. Mas o Senhor dirigiu a sua palavra a Semeias, homem de Deus, dizendo:

23. Fala a Roboão, filho de Salomão, rei de Judá, bem como a toda a casa de Judá e de Benjamim, e a todo o resto do povo. Dize-lhes:

24. Eis o que diz o Senhor: Não vos ponhais em campanha, nem façais guerra contra os filhos de Israel, que são vossos irmãos; cada um volte para sua casa, porque eu é que fiz isto. Ouviram eles a palavra do Senhor, e voltaram, conforme o Senhor lhes tinha mandado.

25. Jeroboão reedificou Siquém, sobre o monte de Efraim, e residiu ali. Depois saiu de lá para edificar Fanuel.

26. Jeroboão disse em seu coração: Agora o reino tornará para a casa de Davide,

27. se este povo for a Jerusalém para lá oferecer sacrifícios na casa do Senhor; e o coração deste povo voltar-se-á para o seu Senhor, para Roboão, rei de Judá; eles me matarão e se voltarão para ele.

28. Depois de ter considerado bem, fez dois bezerros de ouro e disse ao povo: Não torneis mais a Jerusalém. Eis aqui, ó Israel, os teus deuses, que te tiraram da terra do Egipto.

29. Colocou um em Betel, e outro em Dan.

30. Isto foi uma ocasião de pecado, porque o povo ia a Dan para adorar o bezerro.

31. Também levantou templos nos lugares altos, onde pôs como sacerdotes pessoas do povo, que não eram dos filhos de Levi.

32. Ordenou também um dia de festa no oitavo mês, no dia décimo quinto do mês, à semelhança da solenidade que se celebrava em Judá, e ofereceu sacrifícios sobre o altar. Fez o mesmo em Betel, oferecendo sacrifícios aos bezerros que tinha fabricado. Igualmente estabeleceu em Betel sacerdotes (para os templos) dos lugares altos, que tinha edificado.

33. Ao décimo quinto dia do oitavo mês, que ele, por seu capricho, tinha feito solene, subiu Jeroboão ao altar, que tinha construído em Betel, e fez uma solene festa aos filhos de Israel, e subiu ao altar para queimar incenso.





“Somente por meio de Jesus podemos esperar a salvação.” São Padre Pio de Pietrelcina