1. O Senhor disse a Samuel: Até quando chorarás tu Saul, tendo-o eu rejeitado para que não reine sobre Israel? Enche de óleo o teu (vaso feito de) chifre e vem, para eu te enviar a Isai de Belém, porque dentre os seus filhos, escolhi para mim um rei.

2. Samuel disse; Como hei-de eu ir? Saul o saberá e matar-me-á. O Senhor disse: Tomarás contigo um novilho da manada, e dirás: Eu vim para sacrificar ao Senhor.

3. Convidarás Isaí para comer da vítima e eu te mostrarei o que deves fazer; ungirás aquele que eu te designar.

4. Fez, pois, Samuel com o o Senhor lhe disse, e foi a Belém. Os anciães da cidade foram inquietos, aos seu encontro, e disseram: É de paz a tua vinda?

5. Ele respondeu: É de paz; vim para fazer um sacrifício ao Senhor; purificai-vos e vinde comigo ao sacrifício. Ele purificou Isai e seus filhos, e chamou-os ao sacrifício. Todavia Samuel chorava Saul, porque o Senhor se tinha arrependido de o ter constituído rei sobre Israel.

6. Tendo eles entrado, (Samuel) viu Eliab e disse: Porventura está diante do Senhor o seu ungido?

7. Mas o Senhor disse a Samuel: Não olhes para o seu vulto, nem para a altura da sua estatura, porque eu o rejeitei. Eu não julgo do homem pelo que aparece à vista: o homem vê o rosto, mas o Senhor olha para o coração.

8. Isaí chamou Abinadab e apresentou-o a Samuel, o qual disse: O Senhor também não escolheu este.

9. Isaí trouxe Sarna, do qual (Samuel) disse: Também a este não escolheu o Senhor.

10. Isai mandou, pois, vir os seus sete filhos diante de Samuel, e Samuel disse a Isaí: A nenhum destes escolheu o Senhor.

11. Samuel disse a Isaí: Porventura não tens mais filhos? Isaí respondeu: Ainda falta um pequeno, que anda apascentando as ovelhas. Samuel disse a Isaí: Manda-o vir, porque não nos sentaremos à mesa sem que ele venha aqui.

12. Mandou-o, pois, chamar e apresentou-o (a Samuel). Ele era loiro, de olhos formosos e belo aspecto. O Senhor disse: Levanta-te, unge-o, porque é esse mesmo (que eu escolhi).

13. Tomou, pois, Samuel o (vaso de) chifre com o óleo, e o ungiu no meio de seus Irmãos. Daquele dia em diante comunicou-se o espírito do Senhor a Davide, e Samuel, levantando-se, partiu para Rama.

14. O espírito do Senhor retirou-se de Saul, e atormentava-o um espírito maligno, por permissão do Senhor.

15. Os servos de Saul disseram-lhe: Um espírito maligno, enviado por Deus, te atormenta.

16. Se tu, nosso senhor, o mandas, os teus servos, que estão em tua presença, buscarão um homem que saiba tocar harpa, para que, quando o maligno espírito, enviado pelo Senhor, te atormentar, ele toque com sua mão, e experimentes assim algum alívio.

17. Saul disse aos seus servos: Buscai-me, então, um que saiba tocar bem, e trazei-o à minha presença.

18. Respondendo um dos seus criados, disse: Eu vi um dos filhos de Isai de Belém, que sabe tocar (harpa); é dotado de grande força, homem guerreiro, prudente nas palavras, de gentil presença, e o Senhor é com ele.

19. Mandou Saul mensageiros a Isaí, dizendo: Envia-me o teu filho Davide, que anda com os rebanhos.

20. Isaí tomou um Jumento carregado de pães, um ôdre de vinho e um cabrito, e mandou-o a Saul por mão de seu filho Davide.

21. Chegado a casa de Saul, Davide apresentou-se diante dele. Saul ganhou-lhe grande afeição e fê-lo seu escudeiro.

22. Saul mandou dizer a Isaí: Fique Davide junto de mim, porque achou graça diante dos meus olhos.

23. Todas as vezes que o espírito maligno, enviado pelo Senhor, se apoderava de Saul, Davide tomava a harpa, tocava-a com a mão, e Saul sentia alívio, achava-se melhor, porque o espírito maligno retirava-se dele.





“Os corações fortes e generosos não se lamentam, a não ser por grandes motivos e,ainda assim,não permitem que tais motivos penetrem fundo no seu íntimo.(P.e Pio) São Padre Pio de Pietrelcina