1. Oráculo contra Damasco. Eis que Damasco deixará de ser cidade, será apenas um montão de ruínas.

2. As cidades de Aroer serão abandonadas aos rebanhos, e estes repousarão ali, e não haverá quem os espante.

3. Será tirado todo o auxílio a Efraim, e a realeza a Damasco; os restos da Síria serão como a glória dos filhos de Israel, diz o Senhor dos exércitos.

4. Naquele dia ficará atenuada a glória de Jacob, e a gordura da sua carne desaparecerá.

5. Será como quando o segador, na ceifa, junta o que ficou por segar, e com a mão colhe as espigas; será como quando se respiga no vale de Rafaim.

6. Restará um rabisco, como quando se vareja uma oliveira, da qual sòmente ficam, nas pontas altas, duas ou três azeitonas, ou quatro ou cinco nos ramos frutíferos, diz o Senhor Deus de Israel.

7. Naquele dia voltará o homem os olhos para o seu Criador, seus olhos contemplarão o santo de Israel.

8. Não olhará mais para os altares que tinham feito as suas mãos, não contemplará mais as obras que os seus dedos fabricaram, os ascherás e as imagens do Sol.

9. Naquele dia as tuas cidades fortes serão abandonadas como as cidades desertas dos Amorreus e Heveus, que foram abandonadas à chegada dos filhos de Israel, ficarão sem habitantes

10. porque te esqueceste de Deus, teu Salvador, não te lembraste do teu poderoso defensor! Poderás fazer plantações de delícias e semear grão estrangeiro;

11. no dia da plantação, vê-las-ás despontar; uma bela manhã a tua plantação dá flor, mas a colheita é nula, no dia da desgraça, o mal é irremediável.

12. Ah! Ruido de povos numerosos, semelhante ao ruido do mar! Tumulto de multa gente, semelhante ao barulho de impetuosas águas!

13. Os povos bramem, como enormes massas de água; porém (Deus) os ameaça, e eles fugirão para longe, serão dispersos, como o pó dos montes pelo impulso do vento, e como um turbilhão de poeira diante da tempestade.

14. À tarde eis a consternação; antes da manhã, já não existirão. Esta é a paga daqueles que nos destruíram, a sorte dos que nos saqueiam.





“O Senhor sempre orienta e chama; mas não se quer segui-lo e responder-lhe, pois só se vê os próprios interesses. Às vezes, pelo fato de se ouvir sempre a Sua voz, ninguém mais se apercebe dela; mas o Senhor ilumina e chama. São os homens que se colocam na posição de não conseguir mais escutar.” São Padre Pio de Pietrelcina