Talált 136 Eredmények: Menino

  • O menino de oito dias será circuncidado entre vós, nas vossas gerações: os escravos, tanto o escravo (nascido em casa), como o que comprardes, mesmo que não seja da vossa linhagem, serão circuncidados. (Gênesis 17, 12)

  • Entretanto cresceu o menino e foi desmamado; no dia em que foi desmamado, deu Abraão um grande banquete. (Gênesis 21, 8)

  • Deus, porém, disse-lhe: não te pareça áspero tratar assim o menino e a tua escrava. Atende Sara em tudo o que ela te disser, porque de Isaac sairá a descendência que há-de ter o teu nome. (ver nota) (Gênesis 21, 12)

  • Abraão, pois, levantou-se de manhã, tomou pão e um odre de água, pô-lo ás costas de Agar, entregou-lhe o menino e despediu-a. Ela, tendo partido, andava errando pelo deserto de Bersabeia. (ver nota) (Gênesis 21, 14)

  • Quando se acabou a água do odre, deixou o menino deitado debaixo duma das árvores, que ali havia, (Gênesis 21, 15)

  • afastou-se, e sentou-se defronte, à distância dum tiro de flecha, dizendo: não verei morrer o menino. Sentando-se em frente, levantou a sua voz e chorou. (Gênesis 21, 16)

  • Deus ouviu a voz do menino, e o anjo de Deus chamou Agar do céu, dizendo: que fazes, Agar? Não temas, porque Deus ouviu a voz do menino do lugar em que está. (Gênesis 21, 17)

  • Levanta-te, toma o menino, tem-no pela mão, porque eu farei dele um grande povo. (Gênesis 21, 18)

  • E Deus abriu-lhe os olhos, e ela, vendo um poço de água, foi a ele, encheu o odre e deu de beber ao menino. (Gênesis 21, 19)

  • e disse aos seus servos; esperai aqui com o jumento: eu e o menino vamos até acolá, e, depois de adorarmos, voltaremos a vós. (Gênesis 22, 5)

  • E (o anjo) disse-lhe: não estendas a tua mão sobre o menino, nem lhe faças mal algum; agora conheci que temes a Deus e não perdoaste a teu filho único por amor de mim. (Gênesis 22, 12)

  • Ruben, um deles, disse: Porventura não vos disse eu: Não pequeis contra o menino? E vós não me ouvistes. Eis que se requer (de nós) o seu sangue. (Gênesis 42, 22)


“A pessoa que nunca medita é como alguém que nunca se olha no espelho e, assim, não se cuida e sai desarrumada. A pessoa que medita e dirige seus pensamentos a Deus, que é o espelho de sua alma, procura conhecer seus defeitos, tenta corrigi-los, modera seus impulsos e põe em ordem sua consciência.” São Padre Pio de Pietrelcina