1. A palavra do Senhor dos exércitos fez-se ouvir, nestes termos:

2. Isto diz o Senhor dos exércitos; Tenho grande zelo por Sião, zelo-a com grande cólera (contra os seus inimigos).

3. Isto diz o Senhor dos exércitos: Volto para Sião, venho habitar no meio de Jerusalém; Jerusalém chamar-se-á a cidade da fidelidade, e o monte do Senhor dos exércitos monte santo.

4. Isto diz o Senhor dos exércitos: Ainda nas praças de Jerusalém se verão velhos e velhas, tendo cada um na mão um cajado por causa da sua muita idade;

5. os largos da cidade estarão cheios de meninos e meninas, que brincarão nas suas pragas.

6. Isto diz o Senhor dos exércitos: Se o que eu predigo para esse tempo parecer impossível aos olhos dos que restarem deste povo, acaso será .isso impossível a meus olhos? — diz o Senhor dos exércitos.

7. Assim fala o Senhor dos exércitos: Eis que vou livrar o meu povo, tirando-o da terra do oriente e da terra do ocidente.

8. Eu os trarei, e eles habitarão no meio de Jerusalém; serão o meu povo, e eu serei o seu Deus na fidelidade e na justiça.

9. Isto diz o Senhor dos exércitos: Confortem-se as vossas mãos, ó vós, que nestes dias ouvis estas palavras da boca dos profetas, agora que foram lançados os fundamentos da casa do 'Senhor dos exércitos, para que o templo seja reedificado.

10. Antes destes dias, não havia salário para os homens, nem tinham paga os animais, nem havia paz para o que entrava nem para o que saía, por causa do inimigo; eu tinha deixado todos os homens uns contra os outros.

11. Agora, porém, não tratarei os restos deste povo como nos dias antigos, diz o Senhor dos exércitos.

12. A sementeira é de paz: a vinha dará o seu fruto, a terra os seus produtos, os céus darão o seu orvalho, e eu farei que os restos deste povo possuam todos estes bens.

13. Acontecerá que, assim como vós éreis uma maldição entre as nações, ó casa de Judá e casa de Israel, assim vos salvarei, e vós sereis uma bênção. Não temais, armem-se as vossas mãos de fortaleza.

14. Isto diz o Senhor dos exércitos: Assim como resolvi afligir-vos, quando vossos pais me provocaram a ira, diz o Senhor,

15. e não voltei atrás, assim, resolvo, pelo contrário, nestes dias fazer bem à casa de Judá e a Jerusalém. Não temais.

16. Eis o que deveis fazer: Falai verdade, uns aos outros, julgai às vossas portas segundo a verdade e para a paz.

17. Nenhum forme no seu coração maus desígnios contra os outros; não gosteis de fazer juramentos falsos, porque todas estas coisas eu as aborreço, diz o Senhor.

18. Foi-me dirigida a palavra do Senhor dos exércitos, nestes termos:

19. Isto diz o Senhor dos exércitos; O jejum do quarto (mês), o jejum do quinto, o jejum do sétimo e o jejum do décimo mês converter-se-ão para a casa de Judá em gozo e alegria, em festivas solenidades. Mas amai a verdade e a paz.

20. Isto diz o Senhor dos exércitos: Virão povos e habitantes de grandes cidades.

21. Os seus habitantes irão ter uns com os outros, dizendo: Vamos e apresentemos as nossas preces na presença do Senhor, busquemos o Senhor dos exércitos. Pela minha parte (dirá cada um), irei.

22. Então virão muitos povos e poderosas nações buscar o Senhor dos exércitos em Jerusalém, fazer as suas orações na presença do Senhor.

23. Isto diz o Senhor dos exércitos: Naqueles dias, dez homens de todas as línguas das nações lançarão mão de um judeu, agarrarão a fímbria do seu vestido, dizendo: Iremos convosco, porque soubemos que (o verdadeiro) Deus está convosco. (ver nota)





“Seja paciente e espere com confiança o tempo do Senhor”. São Padre Pio de Pietrelcina