1. O Senhor falou a Moisés, dizendo:

2. Fala aos filhos de Israel, e recebe deles uma vara por cada tribo, doze varas de todos os príncipes das tribos, e escreverás o nome de cada um deles sobre a sua vara.

3. O nome de Aarão estará sobre a vara da tribo de Levi, e o nome do chefe de todas as outras tribos estará escrito separadamente cada um na sua vara.

4. Pô-las-ás no tabernáculo da reunião, diante do testemunho, onde eu te falarei.

5. A vara daquele que eu escolher, dentre eles, florescerá: (deste modo) farei cessar os queixumes dos filhos de Israel contra vós.

6. Moisés falou aos filhos de Israel, e todos os príncipes lhe deram as varas, uma por cada tribo. Eram, pois, doze varas, estando no meio a vara de Aarão.

7. Moisés tendo-as posto diante do Senhor no tabernáculo do testemunho,

8. Voltando no dia seguinte, achou que tinha germinado a vara de Aarão (que era) pela tribo de Levi, e que, aparecendo os botões, tinham saído flores, e haviam amadurecido amêndoas.

9. Moisés levou todas as varas de diante do Senhor a todos os filhos de Israel, os quais as viram e receberam cada um a sua vara.

10. O Senhor disse a Moisés: Torna a levar a vara de Aarão para o tabernáculo do testemunho, para se guardar ali em memória da rebelião dos filhos de Israel, e para que cessem as suas queixas diante de mim, e não morram.

11. Moisés fez o que o Senhor lhe tinha ordenado.

12. Os filhos de Israel disseram a Moisés: Eis que somos consumidos, todos perecemos.

13. Qualquer que se aproxima do tabernáculo do Senhor, morre. Acaso seremos todos extintos até não ficar nenhum?





“Seria mais fácil a Terra existir sem o sol do que sem a santa Missa!” São Padre Pio de Pietrelcina