1. Tendo, pois. Cristo sofrido (por nós) na carne, armai-vos também vós do mesmo pensamento: aquele que sofreu na carne, deixou de pecar, (ver nota)

2. para viver durante o tempo que lhe resta (passar) na carne, não segundo as paixões humanas, mas segundo a vontade de Deus.

3. Pois basta no tempo passado ter feito a vontade dos gentios, entregando-se aos desregramentos, às paixões, à embriaguez, aos excessos do comer e do beber, e ao ilícito culto dos ídolos.

4. Por isso é que (os infiéis) estranham agora que não concorrais ao mesmo transbordar de devassidões, e enchem-vos de vitupérios.

5. Mas eles darão conta àquele que está pronto para julgar os vivos e os mortos.

6. Por isso foi o Evangelho também pregado aos mortos, para que, julgados (ou castigados) diante dos homens na carne, vivam segundo Deus no espírito.

7. Ora o fim de todas as coisas está próximo. Portanto sede prudentes e sóbrios para vos entregardes à oração.

8. Sobretudo tende uns para com os outros uma caridade ardente, porque a caridade cobre uma multidão de pecados (Prov. 10.12) (levando Deus a perdoá-los).

9. Exercei a hospitalidade uns com os outros, sem murmuração.

10. Cada um ponha ao serviço dos outros o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.

11. Se alguém fala, fale com palavras de Deus; se alguém exerce um ministério, exerça-o como por uma virtude que Deus dá, para que em todas as coisas seja Deus honrado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o império pelos séculos dos séculos. Amen.

12. Caríssimos, não estranheis o fogo (da tribulação), que se acendeu no meio de vós para vos provar, como se vos acontecesse alguma coisa de extraordinário ;

13. mas alegrai-vos de serdes participantes dos sofrimentos de Cristo, para que vos alegreis também e exulteis, quando se manifestar a sua glória.

14. Se sois ultrajados por causa do nome de Cristo, bem-aventurados sois, porque o Espírito de glória, o Espírito de Deus repousa sobre vós.

15. Nenhum de vós sofra como homicida, ladrão, malfeitor ou delator.

16. Mas, se (sofre) como cristão, não se envergonhe, antes glorifique a Deus por tal nome.

17. Porque chegou o tempo de começar o juízo pela casa de Deus. Ora, se começa por nós, qual será o fim daqueles que não obedecem ao Evangelho de Deus ? (ver nota)

18. Se o justo a custo será salvo, o que acontecerá ao impio e ao pecador? (Prov. XI,31).

19. Por isso também aqueles que sofrem segundo a vontade de Deus, encomendam as suas almas ao Criador fiel, praticando o bem.





“Onde não há obediência, não há virtude. Onde não há virtude, não há bem, não há amor; e onde não há amor, não há Deus; e sem Deus não se chega ao Paraíso. Tudo isso é como uma escada: se faltar um degrau, caímos”. São Padre Pio de Pietrelcina