1. José foi, pois, levar a nova a Faraó, dizendo: Meu pai e meus irmãos, com as suas ovelhas, rebanhos e com tudo o que possuem, vieram da terra de Canaan: e eis que estão parados na terra de Gessen.

2. Apresentou também ao rei os cinco últimos de seus irmãos.

3. (Faraó) perguntou-lhes: Que ocupação tendes? Eles responderam: Nós, teus servos, somos proprietários de gado, (como o foram) nossos pais.

4. Viemos habitar como peregrinos na tua terra, porque não há erva para os rebanhos dos teus servos, e a fome vai crescendo; suplicamos-te que ordenes que nós, teus servos, habitemos na terra de Gessen.

5. O rei disse, pois, a José: Teu pai e teus irmãos vieram ter contigo.

6. A terra do Egito está diante de ti: faze-os habitar no melhor lugar: entrega-lhes a terra de Gessen. Se sabes que há entre eles homens de capacidade, constitui-os superintendentes dos meus rebanhos.

7. Depois disto José conduziu seu pai ao rei, e apresentou-lho. Jacob abençoou o rei, (ver nota)

8. que lhe perguntou: Quantos são os teus anos?

9. Respondeu: Os dias da minha peregrinação são cento e trinta anos; poucos e trabalhosos, não chegaram aos dias da peregrinação de meus pais.

10. Abençoado o rei, retirou-se.

11. José deu a seu pai e a seus irmãos uma propriedade, em um ótimo lugar do país, em Ramsés, como Faraó tinha ordenado,

12. e sustentava-os a eles e a toda a família de seu paí, dando a cada um o seu sustento.

13. Ora o pão faltava em toda aquela terra, a fome muito grande, principalmente no Egito e em Canaan.

14. (José) recolheu destes países todo o dinheiro pela venda do trigo, e meteu-o no erário do rei.

15. Faltando o dinheiro aos compradores, todo o Egito foi ter com José, dizendo: Dá-nos pão; por que razão morreremos nós na tua presença, por falta de dinheiro?

16. Ele respondeu-lhes: Trazei os vossos gados, e eu vos darei por eles de comer, se não tendes (mais) dinheiro.

17. Trouxeram-nos a José e ele deu-lhes alimento em troca de cavalos, de ovelhas, de bois e de jumentos, e sustentou-os aquele ano pela troca de gados.

18. Voltaram também no ano seguinte e disseram-lhe: Não encobriremos ao nosso senhor, que, faltando o dinheiro, nos faltaram juntamente os gados; nem tu ignoras que não temos mais nada, além dos (nossos) corpos e da (nossa) terra.

19. Por que morreremos, pois, à tua vista? Nós e a nossa terra seremos teus; compra-nos para sermos escravos do rei, dá-nos sementes, para que não morramos e a terra se não reduza a um deserto.

20. Portanto José comprou toda a terra do Egito, vendendo cada um deles as suas possessões por causa do rigor da fome: assim a sujeitou a Faraó,

21. com todos os seus povos, desde uma extremidade do Egito até à outra.

22. Sòmente não comprou a terra dos sacerdotes, porque os sacerdotes tinham uma determinada provisão de Faraó, e comiam a provisão que lhes dava Faraó. Por isso não venderam as suas terras,

23. (Depois disto) disse José aos povos: como vedes, Faraó é o Senhor de vós e da vossa terra: tomai sementes e semeai os campos,

24. para que possais colher frutos. Dareis ao rei a quinta parte: as outras quatro deixo-os a vós para semente e para sustento das vossas famílias e filhos.

25. Eles responderam: A nossa conservação está nas tuas mãos: que o nosso senhor apenas volva para nós o seu olhar, e alegres serviremos o rei.

26. Desde aquele tempo até ao dia de hoje, em toda a terra do Egito, se paga aos reis a quinta parte; isto tornou-se lei (para todos) excetuada a terra sacerdotal, que ficou livre desta sujeição.

27. Israel habitou, pois, no Egito, na terra do Gessen, e adquiriu, ali, bens, aumentando e multiplicando-se extraordinariamente.

28. Viveu nela dezassete anos; e todo o tempo da sua vida foi de cento e quarenta e sete anos.

29. Vendo que se aproximava o dia da sua morte, chamou seu filho José e disse-lhe: Se achei graça diante de ti, põe a tua mão debaixo da minha coxa; usarás comigo de bondade e fidelidade, e não me sepultarás no Egito. (ver nota)

30. Quando for dormir com os meus pais, tu me tirarás desta terra e me sepultarás no túmulo dos meus antepassados. José respondeu-lhe: Farei o que mandaste.

31. Ele acrescentou: Jura-mo. José fez o juramento e Israel (adorou a Deus) prostrado sobre a cabeceira do leito.





“Subamos sem nos cansarmos, sob a celeste vista do Salvador. Distanciemo-nos das afeições terrenas. Despojemo-nos do homem velho e vistamo-nos do homem novo. Aspiremos à felicidade que nos está reservada.” São Padre Pio de Pietrelcina