1. Ora Raquel, vendo-se infecunda, teve inveja da sua irmã e disse a seu marido: Dá-me filhos, senão morrerei.

2. Jacob, enfadado, respondeu-lhe: Acaso estou eu em lugar de Deus, que te privou do fruto do teu ventre?

3. Ela disse: Tenho (minha) serva Bala: toma-a, para que ela dê à luz sobre os meus joelhos, e eu tenha filhos dela. (ver nota)

4. E deu-lhe Bala por mulher, a qual,

5. depois que Jacob a tomou, concebeu, e deu à luz um filho.

6. Raquel disse: O Senhor julgou a meu favor, e ouviu a minha voz, dando-me um filho; por isso o chamou Dan.

7. Concebendo ela segunda vez, deu à luz outro filho,

8. do qual Raquel disse: O Senhor me fez entrar em competência com minha irmã, e eu vendi; e chamou-o Neftali,

9. Lia, vendo que tinha cessado de ter filhos, deu a seu marido sua escrava Zelfa.

10. E, tendo ela concebido e dado à luz um filho,

11. Lia disse: Em boa hora: por isto lhe pôs o nome de Gad.

12. Zelfa deu à luz ainda outro filho.

13. Lia disse: Isto é por minha dita, porque as mulheres me chamarão ditosa: por isso o chalou Aser.

14. Ora Ruben, tendo saído ao campo no tempo da ceifa do trigo, achou umas mandrágoras e levou-as a Lia, sua mãe. Raquel disse (a Lia): Dá-me parte das mandrágoras do teu filho.

15. Ela respondeu-lhe: Porventura parece-te pouco teres-me roubado o marido. Senão que também me queres levar as mandrágoras de meu filho? Raquel disse: (consinto que ele) durma esta noite contigo pelas mandrágoras de teu filho.

16. Quando Jacob à tarde voltava do campo, Lia saiu-lhe ao encontro e disse-lhe: Virás comigo, porque eu te tomei pelo preço das mandrágoras de meu filho. E (Jacob) dormiu aquela noite com ela.

17. Deus ouviu os seus rogos, e ela concebeu deu à luz o quinto filho,

18. e disse: Deus me deu o pago, dei a minha escrava ao meu marido; e pôs-lhe o nome de Issacar.

19. Concebendo novamente Lia, deu à luz o sexto filho,

20. e disse: Deus me dotou com um bom dote; meu marido estará comigo ainda esta vez, porque eu lhe dei seis filhos; por isso lhe pôs o nome de Zabulon.

21. Depois disto (Lia) deu à luz uma filha, chamada Dina.

22. O Senhor lembrou-se também de Raquel, ouviu-a e tornou-a fecunda.

23. Concebeu e deu luz um filho, dizendo: Deus tirou o meu opróbrio;

24. e pôs-lhe o nome de José, dizendo: o Senhor me dê ainda outro filho.

25. Nascido, porém, José, disse Jacob a seu sogro: Deixa que eu volte para a (minha) pátria, para a minha terra.

26. Dá-me as mulheres e os meus filhos, pelos quais eu tenho servido, para que eu me vá: tu sabes que serviços eu tenho prestado.

27. Labão disse-lhe; ache eu graça diante de teus olhos. Reconheci, por experiência, que Deus me abençoou por causa de ti.

28. Determina tu a recompensa que deverei dar-te.

29. Mas ele respondeu: Tu sabes de que modo te servi, e quanto os teus bens aumentaram nas minhas mãos.

30. Tinhas pouco, antes que eu viesse para ti, e agora tornaste-te rico; o Senhor te abençoou com a minha vinda. É, pois, justo que eu pense também agora (em estabelecer) a minha casa.

31. Labão disse-lhe: Que te hei-de eu dar? Respondeu- lhe Jacob: Não quero nada (em dinheiro); mas, se fizeres o que vou pedir-te. continuarei a apascentar e a guardar os teus rebanhos.

32. Passarei, hoje, pelo meio de todos os teus rebanhos, e porei à parte todas as ovelhas negras ou de diversas cores e de pêlo malhado; tudo o que for negro, malhado e vário, tanto entre as ovelhas como entre as cabras, será a minha recompensa.

33. E amanhã me dará testemunho a minha justiça, quando chegar o tempo combinado entre nós; tudo o que não for de cores variegadas, malhado ou negro, tanto entre as ovelhas como entre as cabras, me arguirá de furto.

34. Labão disse: agrada-me o que pedes.

35. E, naquele dia, Labão separou as cabras, as ovelhas, os bodes e os carneiros variegados e manchados: e entregou nas mãos de seus filhos todo o rebanho que era duma só cor, isto é, de pêlo branco e negro.

36. E pôs a distância de três dias de jornada entre si e o genro, o qual apascentava o restante dos seus rebanhos.

37. Jacob, pois, tomando varas verdes de choupo e de amendoeira e de plátano, tirou-lhes parte da casca; tirada a casca, (nos lugares) onde as varas tinham sido descascadas, apareceu o branco; e onde tinham ficado intactas permaneceram verdes; e isto causou (nas varas) uma variedade de cores.

38. E pô-las nos canais, onde se lançava a água, para que, quando os rebanhos fossem beber, tivessem as varas diante dos olhos, e concebessem olhando para elas.

39. E aconteceu que, no mesmo calor do coito, as ovelhas olhavam para as varas, e davam à luz cordeiros manchados e variegados e pintados de diversas cores. (ver nota)

40. Jacob separou o seu gado, e pôs as varas nos canais diante dos olhos das cabras; tudo o que era branco ou negro pertencia a Labão, e o restante a Jacob, tendo os rebanhos separados entre si.

41. Quando, pois, na primavera, as ovelhas deviam conceber, Jacob punha as varas nos canais da água diante dos olhos dos carneiros e das ovelhas, para que elas concebessem olhando para as varas.

42. Mas, quando as ovelhas concebiam no outono pela segunda vez, não punha as varas. Assim o que era concebido no outono, era para Labão, e o que era concebido na primavera, era para Jacob.

43. Assim tornou-se extraordinàriamente rico, teve muitos rebanhos, escravas e escravos, camelos e jumentos.





“Faltar com a caridade¨¦ como ferir a pupila dos olhos de Deus.” São Padre Pio de Pietrelcina