1. Também eu por certo sou um homem mortal, semelhante a todos os outros, e da descendência daquele que primeiro foi formado de terra.

2. O meu corpo foi formado no seio de minha mãe, no espaço de dez meses coagulado no sangue, feito do semen do homem e do prazer conjugal. (ver nota)

3. E eu, tendo nascido, respirei o ar comum (a todos) e caí sobre a mesma terra (que os outros), e soltei a primeira voz, como todos, chorando. (ver nota)

4. Envolto em faixas fui criado, e com grandes cuidados.

5. Nenhum rei teve outro gênero de nascimento.

6. Há para todos o mesmo modo de entrar na vida e de sair dela.

7. Por isso pedi a prudência, e ela me foi dada; invoquei (o Senhor) e veio a mira o espírito da sabedoria. (ver nota)

8. Preferia-a aos ceptros e aos tronos, e julguei que as riquezas nada valiam em sua comparação. (ver nota)

9. Nem pus em paralelo com ela as pedras mais preciosas, porque todo o ouro em sua comparação é um pouco de areia, e a prata será considerada como lodo à sua vista.

10. Eu amei-a mais do que a saúde e que a formosura, e antes a quis ter que a luz, porque a sua claridade é inextinguível.

11. Todos os bens me vieram juntamente com ela, e inumeráveis riquezas estão nas suas mãos.

12. Regozijei-me com todos (estes bens) porque os conduz a sabedoria: contudo eu ignorava que ela é a mãe de todos estes bens. (ver nota)

13. Eu a aprendi sem intenções reservadas, reparto-a com os outros sem inveja, e não escondo as suas riquezas.

14. Porque ela é um tesouro inesgotável para os homens; os que usam dela tornam-se participantes da amizade de Deus, recomendáveis (a ele) pelos dons da doutrina.

15. Que Deus me conceda a graça de falar segundo desejo, e ter pensamentos dignos dos dons que recebi, porque ele é o guia da sabedoria e o director dos sábios. (ver nota)

16. Estamos na mão dele, nós e as nossas palavras, e toda a vossa sabedoria e habilidade no agir.

17. Foi ele que me deu a verdadeira ciência das coisas que existem, para eu conhecer a constituição do universo, as propriedades dos elementos,

18. o princípio, o fim e o meio dos tempos, as mudanças dos solstícios e as vicissitudes das estações,

19. os ciclos dos anos e a posição das estrelas,

20. a natureza dos animais e os instintos dos brutos, a força dos espíritos e os raciocínios dos homens, as variedades das plantas e as propriedades das raízes.

21. (Em suma) aprendi tudo o que há escondido ou descoberto, porque a sabedoria, que tudo criou, mo ensinou.

22. Efectivamente há nela um espírito inteligente, santo, único, multipllce, subtil, ágil, penetrante, imaculado, claro, impassível, amigo do bem, agudo, a quem nada pode impedir, benéfico,

23. amigo dos homens, estável, seguro, tranquilo, que tudo pode, tudo vê, e que penetra todos os espíritos, os inteligentes, os puros, os mais subtis.

24. A sabedoria é mais ágil que todo o movimento; tudo atravessa e penetra por causa da sua pureza.

25. Ela é um sopro do poder de Deus, uma pura emanação da glória do Omnipotente: por isso não se pode encontrar nela a menor Impureza. (ver nota)

26. Ela é o resplendor da luz eterna, o espelho sem mácula da actividade de Deus, a imagem da sua bondade.

27. Sendo única, pode tudo; permanecendo a mesma, renova tudo; através das gerações, transfunde-se nas almas santas, e forma os amigos de Deus e os profetas.

28. Com efeito. Deus sòmente ama aquele que habita com a sabedoria.

29. Ela é mais formosa do que o sol, supera o conjunto dos astros. Comparada com a luz, ela vence,

30. porque à luz sucede a noite, mas a malícia nada pode contra a sabedoria.





“Diante de Deus ajoelhe-se sempre.” São Padre Pio de Pietrelcina