1. O anjo que falava comigo voltou e despertou-me, como a um homem a quem despertam do seu sono.

2. Perguntou-me: Que vês tu? Respondi: Vejo um candeeiro todo de ouro, que tem um depósito no alto, sete lâmpadas sobre os seus braços e sete canais para (fazer correr o azeite para) as lâmpadas que estão no alto do candeeiro.

3. Há também por cima dele duas oliveiras: uma à direita do depósito e outra à sua esquerda.

4. Então retomei a palavra e disse ao anjo que falava comigo: Meu Senhor, que quer isto dizer?

5. O anjo que falava comigo respondeu: Não sabes o que isto é? Respondi: Não, meu Senhor.

6. Então ele explicou: Esta é a palavra que o Senhor dirige a Zorobabel: Nem por meio dum exército, nem pela força, mas sim pelo meu Espírito, diz o Senhor dos exércitos. (ver nota)

7. Quem és tu, ó grande monte (de dificuldades)? Diante de Zorobabel, torna-te uma planície. Ele porá a pedra de remate, em meio de aclamações: Graça, graça a ela!

8. Foi-me dirigida a palavra do Senhor, nestes termos:

9. As mãos de Zorobabel puseram os fundamentos desta casa, as suas mãos a hão-de acabar. Assim saberás que o Senhor dos exércitos me enviou a vós.

10. Porque, quem desprezaria este dia de pequenas coisas? Alegrar-se-ão quando virem o fio de prumo na mão de Zorobabel. Estes sete olhos são os olhos do Senhor, que discorrem por toda a terra. (ver nota)

11. Retomei a palavra e disse-lhe: Que significam estas duas oliveiras, uma à direita do candeeiro, e outra à sua esquerda?

12. De novo interroguei: Que significam estes dois ramos de oliveira, que, por dois tubos de ouro, deixam correr o ouro (isto é, azeite dourado)?

13. Ele respondeu-me: Não sabes o que Isto significa? Eu disse; Não, meu Senhor.

14. Ele explicou: Estas duas oliveiras são os dois ungidos que assistem diante do Senhor de toda a terra (como seus ministros). (ver nota)





“Para consolar uma alma na sua dor, mostre todo o bem que ela ainda pode fazer”. São Padre Pio de Pietrelcina