1. Paulo, apóstolo de Jesus Cristo pela vontade de Deus, segundo a promessa da vida, que há em Jesus Cristo, (ver nota)

2. a Timóteo, caríssimo filho: graça, misericórdia e paz, da parte de Deus Pai e da de Jesus Cristo Nosso Senhor.

3. Dou graças a Deus, a quem, desde os meus ascendentes, sirvo com consciência pura, quando, sem cessar faço memória de ti nas minhas orações, de noite e de dia,

4. desejando ver-te, lembrado das tuas lágrimas, para me encher de alegria,

5. trazendo à memória aquela fé que há em ti não fingida, a qual habitou primeiro em tua avó Loide e na tua mãe Eunice, e estou certo que também habita em ti.

6. Pelo qual motivo te admoesto que reanimes a graça de Deus, que está em ti pela imposição das minhas mãos. (ver nota)

7. Deus, com efeito, não nos deu (em nossa ordenação) um espírito de timidez, mas de fortaleza, de caridade e de temperança.

8. Portanto, não te envergonhes do testemunho de Nosso Senhor, nem de mim, seu prisioneiro, mas participa comigo dos trabalhos do Evangelho, segundo a virtude de Deus, (ver nota)

9. que nos salvou e chamou com uma santa vocação, não pelas nossas obras, mas segundo o seu (mero) beneplácito e a graça que nos foi dada em Jesus Cristo, antes de todos os séculos,

10. e que agora foi manifestada pela aparição de nosso Salvador Jesus Cristo, o qual destruía a morte e fez brilhar a vida (eterna) e a imortalidade, por meio do Evangelho,

11. para o qual fui constituído pregador, apóstolo e doutor.

12. Por cuja causa também sofro estas coisas, mas não me envergonho, porque sei em quem pus a minha confiança e estou certo de que ele é poderoso para guardar o meu depósito até esse dia. (ver nota)

13. Conserva a forma das sãs palavras que ouviste de mim, (baseando-te) na fé e no amor em Jesus Cristo.

14. Guarda o bom depósito por meio do Espirito Santo, que habita em nós.

15. Tu sabes que se apartaram de mim todos os que estão na Ásia, entre os quais Figelo e Hermógenes.

16. O Senhor use de misericórdia com a família de Onesífero, porque muitas vezes me consolou e não teve vergonha das minhas cadeias,

17. antes, tendo chegado a Roma, me procurou com diligência e me encontrou.

18. O Senhor lhe conceda a graça de encontrar misericórdia diante do Senhor naquele dia (em que há-de vir julgar os vivos e os mortos). Quantos serviços ele me prestou em Éfeso, melhor que ninguém o sabes tu.





“Você teme um homem,um pobre instrumento nas mãos de Deus, mas não teme a justiça divina?” São Padre Pio de Pietrelcina