1. Sobre a tarde chegaram os dois anjos a Sodoma, quando Loth estava assentado às portas da cidade. Ele, tendo-os visto. levantou-se, foi ao seu encontro, prostrou-se por terra,

2. e disse: vinde, vos peço, senhores, para casa de vosso servo, e ficai nela: lavareis os vossos pés e, pela manhã, continuareis o vosso caminho. Eles responderam: não, nós ficaremos na praça.

3. Loth instou com eles para que fossem para sua casa: depois que entraram, preparou-lhes um banquete, fez cozer uns pães ázimos, e eles comeram.

4. Mas, antes que se fossem deitar, os homens da cidade, os homens de Sodoma, desde os meninos até aos velhos, todos, sem excepção, cercaram a casa.

5. Chamaram por Loth e disseram-lhe: onde estão aqueles homens que entraram em tua casa ao cair da noite? Faze-os sair para que os conheçamos.

6. Saiu Loth, fechando nas suas costas a porta, e disse-lhes: (ver nota)

7. não queirais, vos rogo, meus irmãos, não queirais fazer este mal.

8. Tenho duas filhas, que ainda são virgens; eu vo-las trarei, e abusai delas como vos agradar, contando que não façais mal algum a estes homens, porque se acolheram à sombra do meu telhado.

9. Eles, porém, disseram: retira-te para lá. E acrescentaram: tu entraste aqui como estrangeiro; será talvez para nos julgares? A ti, pois, trataremos pior do que a eles. E forçavam Loth com grande violência; e já estavam a ponto de arrombar a porta.

10. E eis que os (dois) homens (que estavam dentro) estenderam a mão, introduziram Loth em casa, e fecharam a porta.

11. E feriram de cegueira os que estavam fora, desde o mais pequeno até ao maior, de sorte que não podiam encontrar a porta.

12. E disseram a Loth: tens aqui alguim dos teus? genro ou filho, ou filhas, faze sair desta cidade todos os que te pertencem,

13. porque nós vamos destruir este, lugar, visto que o clamor (dos seus crimes) aumentou diante do Senhor, o qual nos enviou para que os exterminemos.

14. Loth, pois, tendo saído falou a seus (futuros) genros, que estavam para casar com suas filhas, e disse: levantai-vos. Saí deste lugar, porque o Senhor destruirá esta cidade. E pareceu-lhes que (Loth) falava zombando.

15. Ao amanhecer, instavam os anjos com Loth, dizendo: levanta-te, toma tua mulher e as duas filhas que tens, não suceda que também pereças na ruína da cidade.

16. Como ele hesitasse, pegaram pela mão a ele, a sua mulher e ás suas duas filhas, porque o Senhor queria salvá-lo,

17. e o tiraram de casa, e o puseram fora da cidade. Uma vez fora, falaram, dizendo: salva a tua vida, não olhes para trás e não pareis em parte alguma dos arredores deste país; mas salva-te no monte, para que não pereças com os outros.

18. Loth disse-lhes: rogo-te, meu Senhor,

19. visto que o teu servo achou graça diante de ti, e usaste comigo da grande misericórdia de salvar a minha vida, (consideres) que eu me não posso salvar no monte, sem correr o perigo de ser apanhado pelo mal e morrer.

20. Eis que está perto uma cidade pequena, para a qual posso fugir, e salvar-me-ei nela. Não é ela pequena, e nela não estará segura a minha vida?

21. E o Senhor disse-lhe: ainda nisto eu ouvi os teus rogos, para não destruir a cidade a favor da qual me falaste.

22. Apressa-te e salva-te lá, porque não poderei fazer nada, enquanto tu lá não tiveres entrado. Por isso puseram àquela cidade o nome de Segor.

23. O sol levantava-se sobre a terra, quando Loth entrou em Segor.

24. Fez, pois, o Senhor da parte do Senhor chover sobre Sodoma e Gomorra enxofre e fogo (vindo) do céu.

25. e destruiu estas cidades, todo o pais em roda, todos os habitantes das cidades e toda a verdura da terra.

26. A mulher de Loth, tendo olhado para trás, ficou convertida numa estátua de sal.

27. Ora Abraão, tendo-se levantado de manhã, foi ao lugar onde antes tinha estado com o Senhor,

28. e olhou para Sodoma e Gomorra, e para toda a terra daquela região, e viu que se elevavam da terra cinzas infamadas, como o fumo duma fornalha.

29. Quando destruía as cidades daquela região, lembrou-se de Abraão e livrou Loth da ruína destas cidades, em que tinha habitado.

30. Loth partiu de Segor e retirou-se para o monte com suas duas filhas (porque temia ficar em Segor), e habitou em uma caverna com as suas duas filhas.

31. A mais velha disse à mais nova: nosso pai está velho, e na terra não ficou homem algum com quem nos possamos casar, segundo o costume de todos os países. (ver nota)

32. Vem, embriaguêmo-lo com vinho, e durmamos com ele, para que possamos conservar a linhagem de nosso pai.

33. Deram, pois, a beber vinho a seu pai naquela noite, e a mais velha entrou e dormiu com o pai: ele, porém, não sentiu nem quando ela se deitou, nem quando se levantou.

34. No dia seguinte disse a mais velha para a mais nova: eis que leu ontem dormi com meu pai: demos-lhe também esta noite a beber vinho e dormirás tu com ele, para salvarmos a linhagem de nosso pai.

35. Também, naquela noite deram a beber vinho a seu pai, e a filha mais nova entrou e dormiu com ele: nem então ele sentiu quando ela se deitou, nem quando se levantou.

36. E as duas filhas de Loth conceberam de teu pai.

37. A mais velha deu à luz um filho e pôs-lhe o nome de Moab: este é o pai dos moabitas (que existem) até ao dia de hoje.

38. A mais nova também deu à luz um filho e pôs-lhe o nome de Amon, que quer dizer filho do meu povo: este é o pai dos amonitas, (que existem) até ao dia de hoje.





“O meu passado, Senhor, à Tua misericórdia. O meu Presente, ao Teu amor. O meu futuro, à Tua Providência.” São Padre Pio de Pietrelcina