1. Os Apóstolos e os irmãos, que estavam na Judeia, ouviram que também os gentios tinham recebido a palavra de Deus.

2. Quando Pedro voltou a Jerusalém, os que eram da circuncisão disputavam com ele,

3. dizendo: "Tu entraste em casa de homens não circuncidados e comeste com eles."

4. Mas Pedro começou a expor-lhes as coisas por ordem, dizendo:

5. "Eu estava orando na cidade de Jope, quando tive, em êxtase, esta visão: Descia uma espécie de objecto, como um grande lençol, o qual, suspenso pelas quatro pontas, baixava do céu, e veio até mim.

6. Fixando eu os olhos nele, estava-o contemplando e vi (dentro) animais terrestres quadrúpedes, eras, répteis e aves do céu.

7. Ouvi também uma voz que me dizia: Levanta-te, Pedro, mata e come.

8. Eu disse: De nenhum modo, Senhor, porque nunca entrou na minha boca coisa manchada ou impura.

9. Respondeu-me outra vez a voz do céu: O que Deus declarou puro, não lhe chames tu impuro.

10. Isto sucedeu por três vezes; depois tudo foi retirado para o céu.

11. Eis que chegaram logo três homens à casa, onde eu estava, enviados a mim de Cesareia.

12. O Espírito disse-me que fosse com eles, sem hesitação alguma. Estes seis irmãos foram também comigo e entramos na casa daquele homem (que me mandou buscar).

13. Ele contou-nos como tinha visto na sua casa um anjo apresentar-se diante dele, dizendo: Manda a Jope chamar Simão, que tem por sobrenome Pedro,

14. o qual te anunciará palavras, pelas quais serás salvo, tu e toda a tua casa.

15. Tendo eu começado a falar, desceu o Espírito sobre eles, como (tinha descido) sobre nós no princípio.

16. Lembrei-me então da palavra do Senhor, que ele havia proferido: João baptizou em água, mas vós sereis baptizados no Espírito Santo.

17. Se Deus, pois, lhes deu a mesma graça que a nós, por terem crido no Senhor Jesus Cristo, quem era eu, para que me pudesse opor a Deus?"

18. Eles, tendo ouvido estas coisas, aquietaram-se e glorificaram a Deus, dizendo: "Logo Deus concedeu também aos gentios a penitência, a fim de que tenham a vida."

19. Entretanto aqueles que tinham sido dispersos pela perseguição suscitada por causa de Estêvão, chegaram até à Fenicia, Chipre e Antioquia, não pregando a ninguém a palavra, senão só os Judeus.

20. Entre eles havia alguns homens de Chipre e de Cirene, os quais, tendo entrado em Antioquia, falavam também aos Gregos, anunciando-lhes o Senhor Jesus.

21. A mão do Senhor era com eles, e muita gente, tendo crido, converteu-se ao Senhor.

22. Chegou a notícia destas coisas aos ouvidos da Igreja de Jerusalém, que enviou Barnabé a Antioquia.

23. Quando ele lá chegou e viu a graça de Deus, alegrou-se e exortava todos a perseverar fiéis ao Senhor, com coração firme.

24. De facto, (Barnabé) era um homem de bem e cheio do Espírito Santo e de fé. E uniu-se ao Senhor grande multidão de gente.

25. (Dali) Barnabé partiu para Tarso, em busca de Saulo; tendo-o encontrado, levou-o a Antioquia.

26. Nesta Igreja passaram eles um ano inteiro e instruíram uma grande multidão. Em Antioquia foi dada pela primeira vez aos discípulos o nome de cristãos.

27. Naqueles dias, foram de Jerusalém a Antioquia uns profetas. (ver nota)

28. Levantando-se um deles, chamado Agabo, fazia saber, por virtude do Espirito, que haveria uma grande fome por todo o mundo, a qual veio no tempo de Cláudio.

29. Os discípulos, cada um segundo os seus meios, resolveram enviar algum socorro aos irmãos que habitavam na Judeia;

30. o que eles efectivamente fizeram, enviando-o aos anciães, por mãos de Barnabé e de Saulo. (ver nota)





“A maior caridade é aquela que arranca as pessoas vencidas pelo demônio, a fim de ganhá-las para Cristo. E isso eu faço assiduamente, noite e dia.” São Padre Pio de Pietrelcina