1. O Senhor falou a Moisés, dizendo:

2. Toma Aarão com seus filhos, as suas vestes, o óleo da unção, o novilho pelo pecado, os dois carneiros e o cesto dos ázimos,

3. e juntarás toda a multidão à entrada do tabernáculo.

4. Moisés fez como o Senhor tinha ordenado. Junta toda a multidão diante da porta do tabernáculo,

5. disse: Eis o que o Senhor ordenou que se faça,

6. Depois apresentou Aarão e seus filhos, tendo-os lavado,

7. revestiu o pontífice da túnica de linho, cingiu-o com o cingulo, revestiu-o com o manto, pôs sobre ele o éfode,

8. e, apertando-o com o cíngulo ajustou-o ao peitoral em que estava (escrita): Doutrina e verdade.

9. Cobriu-lhe também a cabeça com a tiara, e, na frente dela, diante da testa, pôs a lâmina de ouro, o diadema sagrado, como o Senhor ordenara.

10. Tomou, além disso, o óleo da unção, com que ungiu, o tabernáculo e todas as suas alfaias.

11. Tendo aspergido sete vezes o altar para o santificar, ungiu-o com todos os seus utensílios, assim como a bacia com a sua base, e consagrou-os.

12. Derramando óleo sobre a cabeça de Aarão, ungiu-o e consagrou-o.

13. Depois de os ter apresentado, revestiu também os seus filhos de túnicas de linho, cingiu-os com os cíngulos pôs-lhes mitras na cabeça, como o Senhor tinha ordenado.

14. Ofereceu também um novilho pelo pecado. Depois de Aarão e seus filhos terem posto as suas mãos sobre a cabeça do novilho,

15. (Moisés) imolou-o, tomou o sangue e molhando nele o dedo, tocou as pontas do altar ao redor; tendo-o assim purificado e santificado, derramou o resto do sangue aos pés do altar.

16. Queimou sobre o altar a gordura, que estava sobre as vísceras, e o redanho do fígado, e os dois rins com a sua gordura.

17. Queimou fora dos acampamentos o novilho com a sua pele, as carnes e os excrementos, como o Senhor tinha ordenado.

18. Ofereceu também um carneiro em holocausto. Tendo Aarão e seus filhos posto as mãos sobre a sua cabeça,

19. imoIou-o e derramou-lhe o sangue ao redor do altar.

20. Dividindo em pedaços o carneiro, queimou no fogo a cabeça, os membros e a gordura.

21. Depois de haver lavado os intestinos e os pés, queimou sobre o altar o carneiro todo inteiro, por ser um holocausto de odor suave para o Senhor, como este lhe tinha ordenado.

22. Ofereceu mais o segundo carneiro, o da inauguração. Aarão e os seus filhos puseram as suas mãos sobre a cabeça dele,

23. e Moisés, tendo-o imolado, tomou do seu sangue e tocou com ele a extremidade da orelha direita de Aarão, e o dedo polegar da sua mão direita, e igualmente do pé.

24. Apresentou também os filhos de Aarão, e, tendo tocado com sangue do carneiro imolado a extremidade da orelha direita de cada um, e os dedos polegares da mão e do pé direito, derramou o resto (do sangue) em roda sobre o altar.

25. Separou a gordura, a cauda e toda a gordura que cobre os intestinos, e o redanho do fígado, e os dois rins com a sua gordura e a espádua direita.

26. Tornando do cesto dos ázimos, que estava diante do Senhor, um pão sem fermento, uma torta amassada em azeite, e uma filhó, pôs estas coisas sobre a gordura e a espádua direita,

27. entregando tudo juntamente a Aarão e aos seus filhos. Depois que eles elevaram estas coisas diante do Senhor,

28. Moisés recebeu-as novamente das suas mãos, e queimou-as sobre o altar do holocausto, porque era o sacrifício de inauguração, pelo fogo, de odor suave, ao Senhor.

29. Depois de ter elevado diante do Senhor o peito do carneiro da inauguração, tomou-o como porção sua, conforme lhe tinha ordenado o Senhor.

30. Tomando o óleo e o sangue que estava sobre o altar, aspergiu e consagrou com ele Aarão e as suas vestes. Os seus filhos e as vestes deles.

31. Moisés disse a Aarão e a seus filhos: Cozei as carnes diante da porta do tabernáculo e comei-as aí mesmo, e comei também os pães da inauguração que foram postos no cesto, como o Senhor me ordenou, dizendo: Aarão e seus filhos os comerão.

32. Aquilo, porém, que sobrar da carne e dos pães, consumi-lo-á o fogo.

33. Também não saireis da entrada do tabernáculo durante sete dias, até ao dia em que se completar o tempo da vossa inauguração, porque a inauguração completa-se em sete dias.

34. Aquilo que hoje se fez, o Senhor ordenou que se faça (também durante sete dias) a fim de fazer a expiação por vós.

35. De dia e de noite estareis no tabernáculo velando ao serviço do Senhor, para que não suceda morrerdes. Assim me foi ordenado.

36. Aarão e seus filhos fizeram tudo o que o Senhor lhes tinha ordenado por meio de Moisés.





“É doce o viver e o penar para trazer benefícios aos irmãos e para tantas almas que, vertiginosamente, desejam se justificar no mal, a despeito do Bem Supremo.” São Padre Pio de Pietrelcina