1. Sede filhos do Senhor vosso Deus; não vos fareis incisões, nem cortareis o cabelo por causa dum morto.

2. Com efeito és um povo consagrado ao Senhor teu Deus, e ele te escolheu dentre todas as nações que há na terra, para seres o seu povo particular.

3. Não comais o que é impuro.

4. Estes são os animais que deveis comer: O boi, a ovelha, a cabra,

5. o veado, a corça, o gamo, a cabra montês, o antílope, o búfalo, camelo pardal.

6. Comereis de todo o animal que tem a unha fendida em duas partes, e que rumina.

7. Não deveis, porém, comer dos que ruminam, mas não têm a unha fendida, com são o camelo, a lebre, o coelho; estes, porque ruminam e não têm a unha fendida, serão impuros para vós.

8. O porco também será para vós impuro, porque embora tenha a unha fendida, não rumina; não comereis das suas carnes, nem tocareis nos seus cadáveres.

9. De todos os animais que vivem nas águas, comereis estes: Comei os que têm barbatanas e escamas,

10. mas não comais daqueles que não têm barbatanas nem escamas, porque são impuros.

11. Comei de todas as aves que são puras.

12. Não comais das impuras, como são a águia, o grifo e o esmerilhão,

13. o abutre e o milhano, nas suas diversas espécies,

14. todo o gênero de corvos,

15. o avestruz, a coruja, a gaivota, e o açor, nas suas diversas espécies,

16. a cegonha, o cisne, o ibis,

17. o mergulho, o porfirião, o bufo,

18. a cegonha, o caradrio, nas suas diversas espécies, a poupa e o morcego.

19. Tudo o que anda de rastos e tem asas, será impuro e não se comerá.

20. Comei de tudo o que é puro.

21. Não comais de nenhum animal encontrado morto. Dá-o para que o coma, ou vende-o, ao peregrino que habita dentro das tuas portas, porque tu és o povo santo do Senhor teu Deus. Não cozerás o cabrito no leite de sua mãe.

22. Porás à parte cada ano o dízimo de todos os teus frutos, que nascem na terra,

23. e conterás na presença do Senhor teu Deus, no lugar que tele tiver escolhido para aí ser invocado o seu nome, o dízimo do teu trigo, do vinho, do azeite, e os primogênitos das tuas vacas e das tuas ovelhas, para que aprendas a temer o Senhor teu Deus em todo o tempo.

24. Todavia, se for muito longo o caminho até ao lugar que o Senhor teu Deus tiver escolhido, e ele te tiver abençoado, e tu não puderes levar-lhe todas estas coisas,

25. venderás tudo, levarás o dinheiro (dessa venda) na tua mão, e irás ao lugar que o Senhor teu Deus tiver escolhido;

26. comprarás com esse mesmo dinheiro tudo o que te aprouver, bois ou ovelhas, vinho, licores fermentados, tudo o que a tua alma deseja, e comerás diante do Senhor teu Deus, banqueteando-te tu e tua família.

27. O Levita, que vive dentro das tuas portas, toma cuidado não o desampares, porque ele não tem parte na tua herança.

28. Todos os três anos separarás outro dízimo de tudo o que te nascer nesse tempo (nesse terceiro ano), e depô-lo-ás dentro das tuas portas.

29. Então virá o Levita que não tem outra parte nem herança contigo, assim como o peregrino, o orfão, e a viúva, que estão dentro das tuas portas, e comerão e se saciarão, para que o Senhor teu Deus te abençoe em todas as obras que fizeres com tuas mãos.





“Onde não há obediência, não há virtude. Onde não há virtude, não há bem, não há amor; e onde não há amor, não há Deus; e sem Deus não se chega ao Paraíso. Tudo isso é como uma escada: se faltar um degrau, caímos”. São Padre Pio de Pietrelcina