1. Quando se completaram os dias do Pentecostes, estavam todos juntos no mesmo lugar.

2. De repente, veio do céu um estrondo, como de vento que soprava impetuoso, que encheu toda a casa onde estavam sentados.

3. E apareceram-lhes repartidas umas como línguas de fogo, das quais pousou uma sobre cada um deles.

4. Ficaram todos cheios do Espirito Santo e começaram a falar várias línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.

5. Estavam então residindo em Jerusalém Judeus piedosos de todas as nações que há debaixo do céu.

6. Logo que se deu este ruído, acudiu muita gente, e ficou pasmada, porque cada um os ouvia falar na sua própria língua.

7. Estavam todos atônitos e admiravam-se, dizendo: "Porventura não são Galileus todos estes que falam?

8. Como é que os ouvimos falar cada um de nós a nossa língua materna?

9. Partos, Medos, Elamitas, os que habitam a Mesopotâmia, a Judeia, a Capadócia, o Ponto e a Asia,

10. a Frigia e a Panfília, o Egipto e várias partes da Líbia, vizinhas de Cirene, e os vindos de Roma,

11. tanto Judeus como prosélitos, Cretenses e Árabes, todos os ouvimos falar nas nossas línguas das maravilhas de Deus."

12. Estavam todos atônitos e fora de si, dizendo uns para os outros: "Que quer isto dizer?

13. Outros, porém, escarnecendo, diziam: "Estão cheios de vinho doce." (ver nota)

14. Então Pedro, apresentando-se com os onze, levantou a voz e disse-lhes: "Homens Judeus e vós todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto conhecido, ouvi atentamente as minhas palavras.

15. Estes homens não estão embriagados, como vós cuidais, pois ainda é a hora terceira do dia;

16. mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel (Jl. 3, 1-5):

17. Acontecerá nos últimos dias, diz Deus, que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; e profetizarão vossos filhos e vossas filhas, e os vossos jovens terão visões, e os vossos anciães sonhos.

18. Naqueles dias, derramarei do meu Espírito sobre os meus servos e sobre as minhas servas, e profetizarão.

19. Farei ver prodígios em cima no céu, e sinais em baixo na terra, sangue, fogo e nuvens de fumo. (ver nota)

20. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o dia grande e glorioso do Senhor.

21. Então acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor, será salvo.

22. Varões israelitas, ouvi estas palavras: A Jesus Nazareno, homem acreditado por Deus entre vós, por meio de milagres, prodígios e sinais que Deus operou por meio dele entre vós, como vós mesmos sabeis,

23. a este homem que foi entregue, segundo os desígnios e presciência de Deus, vós o matastes, crucificando-o por mãos de iníquos.

24. Deus o ressuscitou livrando-o dos laços da morte, porquanto era impossível que por esta fosse retido.

25. Com efeito, David diz dele: Eu via sempre o Senhor diante de mim, porque ele está à minha direita, para que eu não seja abalado.

26. Por isto se alegrou o meu coração, e exultou a minha língua, e, além disto, a minha carne repousará na esperança,

27. porque não abandonarás a minha alma na habitação dos mortos, nem permitirás que o teu Santo experimente a corrupção.

28. Ensinaste-me os caminhos da vida, e me encherás de alegria com a vista da tua face (Ps. 16, 8-11).

29. Irmãos, seja-me permitido dizer-vos francamente do patriarca David, que ele morreu, foi sepultado, e o seu sepulcro está entre nós até ao dia de hoje.

30. Sendo ele profeta e sabendo que Deus lhe tinha prometido com juramento que um da sua descendência se sentaria sobre o seu trono,

31. profeticamente falou da ressurreição de Cristo, dizendo que não seria deixado na habitação dos mortos, nem a sua carne sujeita à corrupção.

32. A este Jesus ressuscitou Deus, do que todos nós somos testemunhas.

33. Elevado pela dextra de Deus, e tendo recebido do Pai o Espírito Santo prometido, ele o derramou como vós vedes e ouvis.

34. Porque David não subiu ao céu, mas ele mesmo diz: O Senhor disse ao meu Senhor: Senta-te à minha direita,

35. até que eu ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés (Ps. 109, 1).

36. Saiba, pois, toda a casa de Israel com a maior certeza que Deus constituiu Senhor e Cristo a este Jesus, a quem vós crucificastes."

37. Ao ouvir estas coisas, ficaram compungidos no seu coração e disseram a Pedro e aos outros Apóstolos: "Que devemos fazer irmãos?"

38. Pedro disse-Ihes: "Fazei penitência, e cada um de vós seja baptizado, em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis, então, dom do Espírito Santo. (ver nota)

39. Porque a promessa é para vós, para os vossos filhos, para todos os que estão longe e para quantos o nosso Deus chamar (a si)."

40. Com outras muitíssimas palavras, os persuadia e exortava, dizendo: "Salvai-vos desta geração perversa"

41. Os que receberam a sua palavra foram baptizados; e ficaram agregadas a eles, naquele dia, cerca de três mil pessoas.

42. Perseveravam na doutrina dos Apóstolos, nas reuniões comuns, na fracção do pão e nas orações. (ver nota)

43. Toda a gente estava com temor, porque eram também realizados pelos Apóstolos muitos prodígios e maravilhas. (ver nota)

44. Todos os que criam, estavam unidos e punham tudo em comum.

45. Vendiam as suas propriedades e os seus bens, e distribuíam o preço por todos, segundo as necessidades de cada um.

46. Todos os dias frequentavam em perfeita harmonia o templo, e, partindo o pão pelas casas, tomavam a comida com alegria e simplicidade de coração, (ver nota)

47. louvando a Deus e sendo bem vistos por todo o povo. O Senhor aumentava cada dia mais o número dos que estavam no caminho da salvação.





“Quando o dia seguinte chegar, ele também será chamado de hoje e, então, você pensará nele. Tenha sempre muita confiança na Divina Providência.” São Padre Pio de Pietrelcina