1. Entretanto Saulo, respirando ainda ameaças e morte contra os discípulos do Senhor, apresentou-se ao sumo sacerdote

2. e pediu-lhe cartas para as sinagogas de Damasco, com o fim de levar presos a Jerusalém quantos adeptos deste caminho (doutrina) encontrasse, homens e mulheres.

3. Prosseguindo ele a sua jornada, aconteceu que, ao aproximar-se de Damasco, subitamente o cercou uma luz fulgurante vinda do céu.

4. Caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: "Saulo, Saulo, por que me persegues?" (ver nota)

5. Ele disse: "Quem és tu, Senhor?" Ele (respondeu); "Eu sou Jesus, a quem tu persegues, (ver nota)

6. Levanta-te, entra na cidade, e ai te será dito o que deves fazer."

7. Aqueles que o acompanhavam, estavam estupefactos, ouvindo a voz, mas não vendo ninguém.

8. Saulo levantou-se da terra e, tendo os olhos abertos, não via nada. Eles, porém, levando-o pela mão, o conduziram a Damasco.

9. Esteve ali três dias sem ver, sem comer nem beber.

10. Ora em Damasco havia um discípulo chamado Ananias. O Senhor, numa visão, disse-lhe: "Ananias!" Ele respondeu: "Eis-me aqui, Senhor."

11. O Senhor disse-lhe: "Levanta-te, vai à rua chamada Direita, e busca em casa de Judas um (homem) de Tarso, chamado Saulo, porque ei-lo que está orando."

12. (Neste mesmo tempo Saulo, em uma visão) viu um homem, chamado Ananias, que entrava e lhe impunha as mãos para recobrar a vista.

13. Ananias respondeu: "Senhor, tenho ouvido dizer a muitos quantos males este homem fez aos teus santos em Jerusalém:

14. e aqui ele tem poder dos príncipes dos sacerdotes para prender todos os que invocam o teu nome."

15. Mas o Senhor disse-lhe: "Vai, porque este é um instrumento escolhido por mim para levar o meu nome diante das gentes, dos reis e dos filhos de Israel.

16. Mostrar-lhe-ei quanto deve sofrer pelo meu nome."

17. Foi Ananias e entrou na casa, e, impondo-lhe as mãos, disse: "Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho por onde vinhas, enviou-me para que recuperes a vista e fiques cheio do Espírito Santo."

18. Imediatamente, lhe caíram dos olhos umas como escamas, recuperou a vista, levantou-se e foi baptizado.

19. Depois que tomou alimento, recuperou as forças. Esteve alguns dias com os discípulos que se encontravam em Damasco.

20. Imediatamente, começou a pregar nas sinagogas que Jesus era o Filho de Deus.

21. Pasmavam todos os que ouviam e diziam: "Não é este aquele que perseguia em Jerusalém os que invocavam este nome, e não veio ele cá com o fim de os levar presos aos príncipes dos sacerdotes"

22. Entretanto Saulo muito mais se esforçava e confundia os Judeus que habitavam em Damasco, demonstrando-lhes que Jesus é o Cristo.

23. Tendo-se passado muitos dias, os Judeus em conselho resolveram matá-lo.

24. Porém Saulo foi advertido das suas ciladas. Eles faziam guarda às portas (da cidade), de dia e de noite, para o matarem.

25. Mas os discípulos, tomando-o de noite, desceram-no numa cesta, pela muralha.

26. Tendo chegado a Jerusalém, procurava juntar-se com os discípulos, mas todos o temiam, não acreditando que ele fosse discípulo.

27. Então Barnabé, tomando-o consigo, o levou aos Apóstolos, e ele contou-lhes como tinha visto o Senhor no caminho, o qual lhe tinha falado, e como em Damasco pregara corajosamente em nome de Jesus.

28. Desde então ficou com eles em Jerusalém, entrando e saindo, e pregando corajosamente em nome do Senhor.

29. Falava e discutia com os Helenistas; mas eles procuravam matá-lo.

30. Tendo sabido isto os irmãos, conduziram-no a Cesareia, e dai o enviaram a Tarso.

31. Tinha então paz a Igreja por toda a Judeia, Galileia e Samaria, edificava-se e caminhava no temor do Senhor, e com a assistência do Espirito Santo ia-se multiplicando.

32. Ora aconteceu que Pedro, indo por toda a parte, de cidade em cidade, foi também aos santos que habitavam em Lida.

33. Encontrou ali um homem, chamado Eneias, que havia oito anos jazia num leito, porque estava paralítico.

34. Pedro disse-lhe: "Eneias, Jesus Cristo cura-te. Levanta-te, e faze tu mesmo a tua cama." Imediatamente se levantou.

35. Viram-no todos os que habitavam em Lida e em Sarou, os quais se converteram ao Senhor.

36. Havia em Jope, entre os discípulos, uma mulher, chamada Tabita, (palavra) que, traduzida (em grego), quer dizer Dorcas. Estava cheia de boas obras e de esmolas que fazia.

37. Aconteceu naqueles dias que, caindo enferma, morreu. Tendo-a lavado, puseram-na num quarto alto. (ver nota)

38. Como Lida estava perto de Jope, os discípulos, ouvindo dizer que Pedro se encontrava lá, enviaram-lhe dois homens, rogando-lhe: "Não te demores em vir ter convosco."

39. Pedro, levantando-se, foi com eles. Logo que chegou, levaram-no ao quarto alto, e cercaram-no todas as viúvas, chorando e mostrando-lhe as túnicas e os vestidos que Dorcas em vida lhes fazia.

40. Então Pedro, tendo mandado sair todos, pondo-se de joelhos, orou. Depois, voltando-se para o corpo, disse: "Tabita, levanta-te." Ela abriu os olhos, e, vendo Pedro, sentou-se.

41. Ele a fez levantar, dando-lhe a mão. Então, tendo chamado os santos e as viúvas, lha entregou viva.

42. Este facto foi sabido por toda Jope, e muitos creram no Senhor.

43. Pedro ficou em Jope muitos dias, em casa de um certo Simão, curtidor.





“Jesus está com você, e o Cireneu não deixa de ajudar-te a subir o Calvário.” São Padre Pio de Pietrelcina