1. Quando na terra, que o Senhor teu Deus te há-de dar, for encontrado o cadáver dum homem (que foi) morto, e se ignorar (quem é) o réu do homicídio,

2. sairão os anciães e os teus juízes, e medirão o espaço que vai desde onde está o cadáver até cada cidade do contorno:

3. tendo conhecido (qual é) a mais vizinha de todas, os anciães dessa cidade tomarão da manada uma novilha, que não tenha ainda levado jugo, nem fendido a terra com o arado,

4. e conduzi-la-ão a um vale áspero e pedregoso, que nunca tenha sido lavrado nem semeado, e aí cortarão o pescoço à novilha.

5. Aproximar-se-ão os sacerdotes filhos de Levi porque o Senhor teu Deus os escolheu para serem seus ministros, para abençoarem em seu nome, e para que, por decisão deles, se julgue toda a causa, e toda a percussão.

6. Os anciães daquela cidade irão junto do morto, e lavarão as suas mãos sobre a novilha que foi morta no vale.

7. Depois dirão: As nossas mãos não derramaram este sangue, nem os nossos olhos viram.

8. Sê propício ao teu povo de Israel, que tu, ó Senhor, remiste, e não lhe imputes o sangue inocente (derramado) no meio do teu povo de Israel. Assim será tirado o reato deste sangue,

9. e tu não ficarás responsável pelo sangue do inocente, que foi derramado, quando tiveres feito o que o Senhor mandou.

10. Se saíres a pelejar contra os teus inimigos, e o Senhor teu Deus os entregar nas tuas mãos, se os fizeres cativos

11. e vires entre o número dos prisioneiros uma mulher formosa, e enamorado dela, a quiseres ter por esposa

12. conduzi-la-ás a tua casa, ela rapará os cabelos, cortará as unhas, (ver nota)

13. deporá o vestido com que foi aprisionada, e, ficando sentada em tua casa, chorará seu pai e sua mãe durante um mês; depois a tomarás para ti, dormirás com ela, será tua mulher.

14. Se, porém, depois ela não agradar ao teu coração, deixá-la-ás livre, não a poderás vender por dinheiro, nem oprimir com o teu poder, visto que a humilhaste.

15. Se um homem possuir duas mulheres, uma a quem ama, outra a quem aborrece, e tiverem (ambas) tido filhos dele, se o filho da que ele aborrece for o primogênito, (ver nota)

16. quando esse homem quiser repartir os seus bens entre os seus filhos, não poderá fazer (seu) primogênito o filho daquela que ele ama, e preferi-lo ao filho da que ele aborrece,

17. mas reconhecerá por primogênito o filho da que ele aborrece, dar-lhe-á uma porção dupla de tudo o que tem, porque este é o primeiro de seus filhos, a ele pertence o direito da primogênitura.

18. Se um homem tiver gerado um filho rebelde e contumaz, que não atende às ordens do pai ou da mãe e que, mesmo castigado, não quer obedecer,

19. seu pai e sua mãe pegarão nele e o conduzirão aos anciães daquela cidade à porta do juízo,

20. e Ihes dirão: Este nosso filho é um rebelde e contumaz, despreza ouvir as nossas admoestações, passa a vida na embriaguez e na dissolução.

21. O povo da cidade o apedrejará, e ele morrerá, para que tireis o mal do meio de vós, e todo o Israel, ouvido isto, tema.

22. Quando um homem tiver cometido um crime que deve ser punido com a morte, e, condenado à morte, for pendurado no patíbulo,

23. o seu cadáver não ficará no lenho, mas será sepultado no mesmo dia, porque é maldito de Deus aquele que está pendente do lenho, e tu, de nenhuma sorte, contaminarás a terra que o Senhor teu Deus te der por herança.





“A natureza humana também quer a sua parte. Até Maria, Mãe de Jesus, que sabia que por meio de Sua morte a humanidade seria redimida, chorou e sofreu – e como sofreu!” São Padre Pio de Pietrelcina