1. No ano sétimo, no quinto mês, aos dez dias do mês, vieram alguns dos anciães de Israel consultar, o Senhor e sentaram-se diante de mim.

2. Foi-me dirigida a palavra do Senhor, nos termos seguintes:

3. Filho de homem, fala assim aos anciães de Israel: Isto diz o Senhor Deus: Porventura viestes vós a consultar-me? (Juro) pela minha vida, que não vos responderei, diz o Senhor Deus.

4. Se tu os julgas, filho de homem, se tu os julgas, põe-lhes diante dos olhos as abominações de seus pais.

5. Dir-lhes-ás; Isto diz o Senhor Deus : No dia em que escolhi Israel, em que levantei a minha mão em favor da casa de Jacob e me dei a conhecer na terra do Egipto, em que levantei a minha mão a favor deles, dizendo: Eu sou o Senhor vosso Deus

6. nesse dia levantei a minha mão em seu favor, jurando transferi-los da terra do Egipto para a terra que lhes tinha preparado, a qual mana leite e mel, a mais excelente de todas as terras.

7. Disse-lhes então: Cada um afaste de si os ídolos sedutores dos seus olhos; não vos mancheis com os ídolos do Egipto; eu sou o Senhor vosso Deus.

8. Eles, porém, revoltaram-se contra mim, não me quiseram ouvir; nenhum lançou fora os abomináveis ídolos sedutores. dos seus olhos; não abandonaram os ídolos do Egipto. Pensei derramar a minha indignação sobre eles, saciar neles a minha ira no meio da terra do Egipto;

9. porém procedi (de outra forma) por amor do meu nome, para que ele não ficasse desacreditado diante das gentes, no melo das quais estavam, entre as quais me tinha dado a conhecer, para os tirar da terra do Egipto.

10. Tirei-os, pois, da terra do Egipto e conduzi-os ao deserto.

11. Dei-lhes os meus preceitos, ensinei-lhes as minhas leis, em cuja observância o homem encontrará a vida.

12. Além disto, dei-lhes os meus sábados, para que fossem um sinal entre mim e eles e para que soubessem que eu sou o Senhor que os santifico.

13. Mas, (depois de tudo isto) os filhos da casa de Israel irritaram-me no deserto, não andaram nos meus preceitos, rejeitaram as minhas leis, que dão vida ao que as observa, e profanaram inteiramente os meus sábados. Resolvi, pois, derramar o meu furor sobre eles no deserto e exterminá-los.

14. Mas, por amor do meu nome, procedi (de outra forma) de modo que ele não ficasse desacreditado diante das gentes, aos olhos das, quais eu os tinha feito sair,

15. Também levantei a minha mão contra eles no deserto, jurando não os introduzir na terra que lhes dei, a qual mana leite e mel, á melhor de todas as terras

16. porque eles rejeitaram as minhas leis. não andaram nos meus preceitos, profanaram os meus sábados, pois o seu coração ia após os ídolos.

17. Todavia olhei para eles com olhos de misericórdia, para os não matar, e (de facto) não os exterminei no deserto.

18. Disse a seus filhos no deserto: Não sigais os exemplos de vossos pais, não Imiteis os seus costumes, não vos mancheis com os seus ídolos.

19. Eu sou o Senhor vosso Deus; andai nos meus preceitos, guardai as minhas leis e praticai-as.

20. Santificai os meus sábados, para que eles sejam um sinal entre mim e vós, e para que se saiba que eu sou o Senhor vosso Deus.

21. Porém os filhos revoltaram-se contra mim. não andaram segundo os meus preceitos, não guardaram nem puseram em prática as minhas leis, que o homem deve cumprir para viver, e profanaram os meus sábados. Planeei derramar o meu furor sobre eles, satisfazer a minha ira contra eles no deserto.

22. Mas desviei a minha mão, o que fiz por causa do meu nome, para que ele não fosse profanado diante das gentes, aos olhos das quais eu os tinha feito sair.

23. Tornei outra vez a levantar a minha mão contra eles no deserto, jurando espalhá-los por entre as nações, disseminá-los por países estrangeiros,

24. visto não terem observado as minhas leis, haverem rejeitado os meus preceitos, profanado os meus sábados, e terem-se-lhes ido os olhos após os ídolos de seus pais.

25. Por isso cheguei mesmo a dar-lhes preceitos não bons, leis nas quais não podiam achar a vida.

26. Tornei-os impuros pelas suas oblações, quando faziam sacrificar os seus primogênitos (a Moloch) para os punir, a fim de que soubessem que eu sou o Senhor.

27. Portanto fala à casa de Israel, filho de homem, desta maneira: Isto diz o Senhor Deus: Ainda depois disto me ultrajaram vossos pais, sendo-me infiéis.

28. Quando os introduzi na terra, que com juramento tinha prometido dar-lhes, olharam para todos os outeiros elevados e para todas as árvores frondosas, e ali fizeram os seus sacrifícios, apresentaram as suas oferendas que me irritavam, ali trouxeram os seus agradáveis perfumes e ofereceram as suas libações.

29. Disse-lhes então: Que lugar alto é este aonde vós Ides? E até ao dia de hoje lhe ficou o nome de lugar alto.

30. Portanto dize à casa de Israel: Assim fala o Senhor Deus: É verdade que vos tornais imundos, segundo os caminhos de vossos pais, e vos entregais à mesma prostituição com os seus ídolos (ou idolatria).

31. Na oblação dos vossos dons (a Moloch), quando fazeis passar o.s vossos filhos pelo fogo. vós vos contaminais com todos os vossos ídolos até hoje. E (depois disto) deixar-me-ei ainda consultar por vós, casa de Israel? (Juro) pela minha vida, diz o Senhor Deus. que o não farei.

32. Nem se efectuará o que pensais no vosso espirito quando dizeis: Seremos (felizes) como as nações e como os povos da terra, adorando os paus e as pedras.

33. Juro pela minha vida. diz o Senhor Deus, que reinarei sobre vós com mão forte, com braço estendido, na efusão do meu furor.

34. Tirar-vos-ei do meio dos povos e vos juntarei dos países, para onde tínheis sido dispersos, com mão forte, com braço estendido, com efusão do meu furor,

35. e vos levarei ao deserto dos povos e lá entrarei em juízo convosco, cara a cara. (ver nota)

36. Assim como entrei em juízo com vossos pais no deserto da terra do Egipto, assim vos julgarei a vós. diz o Senhor Deus.

37. E vos submeterei ao meu ceptro, e vos farei entrar nos laços da minha aliança.

38. E separarei dentre vós os rebeldes, os que se revoltaram contra mim, e os farei sair da terra em que habitam como estrangeiros; porém não entrarão na terra de Israel, e vós sabereis que eu é que sou o Senhor.

39. A vós, casa de Israel, isto diz o Senhor Deus: Cada um de vós vá servir os seus ídolos. Porém, depois disto, com certeza me ouvireis e não profanareis mais o meu santo nome com as vossas oferendas e com os vosso ídolos. (ver nota)

40. (Eu sei que) sobre o meu santo monte sobre o alto monte de Israel, diz o Senhor Deus, ali me servirá toda a casa de Israel, toda ela estabelecida na terra; ali (os filhos de Israel) me serão agradáveis, ali requererei as vossas oferendas e as primícias dos vossos dons com tudo o que me consagrardes.

41. Então vos receberei como um perfume agradável quando vos tiver tirado do meio dos povos e vos tiver juntado dos países, por onde tínheis sido espalhados; e tornar-se-á manifesta em vós a minha santidade aos olhos das nações.

42. E sabereis que eu é que sou o Senhor, quando vos introduzir na terra de Israel, na terra que jurei, de mão levantada, dar a vossos pais.

43. Ali vos lembrareis dos vossos caminhos e de todas as maldades com as quais vos manchastes, e vos desagradareis de vós mesmos, à vista de todas as maldades que cometestes.

44. Então sabereis, casa de Israel, que eu é que sou o Senhor, quando eu proceder convosco (benignamente) por amor do meu nome, em vez de vos tratar conforme os vossos maus caminhos e os vossos detestáveis pecados, diz o Senhor Deus.

45. Foi-me dirigida a palavra do Senhor, nestes termos:

46. Filho de homem, volta o rosto para meio-dia fala para o sul, profetiza contra a floresta do meio-dia.

47. Dirás à floresta do meio-dia: Ouve a palavra do Senhor: Isto diz o Senhor Deus: Eis que vou acender em ti um fogo que queimará em ti todo o lenho verde e todo o lenho seco; não se apagará a chama deste Incêndio, e queimar-se-á nela todo o rosto, desde o meio-dia até ao aquilão.

48. Toda a carne verá que eu, o Senhor, lancei o fogo. o qual se não apagará.

49. Então eu disse: Ah! Senhor Deus! Eles dizem isto de mim: Este não nos fala, senão por parábolas (obscuras)





“Quando o dia seguinte chegar, ele também será chamado de hoje e, então, você pensará nele. Tenha sempre muita confiança na Divina Providência.” São Padre Pio de Pietrelcina