1. Então Tobias chamou seu filho e disse-lhe: Que podemos nós dar a este santo homem que te acompanhou ?

2. Ele respondeu: Meu pai, que galardão lhe daremos nós? que coisa poderá haver proporcionada aos seus benefícios?

3. Ele levou-me e trouxe-me são e salvo; recebeu de Gabelo o dinheiro; fez-me ter mulher e afugentou dela o demónio; encheu de alegria os seus pais; livrou-me a mim mesmo de ser tragado pelo peixe; a ti fez-te ver a luz do céu: por ele nós fomos cheios de todos os bens. Que lhe poderemos dar que iguale tais benefícios?

4. Rogo-te, meu pai, que lhe peças se digne tomar para si metade de tudo o que trouxemos.

5. O pai e o filho chamaram-no, pois, à parte, e começaram a rogar-lhe que se dignasse aceitar metade de tudo o que tinham trazido.

6. Então ele falou-lhes particularmente; Bendizei o Deus do céu, dai-lhe glória diante de todos os viventes, por ter usado convosco da sua misericórdia.

7. E bom conservar escondido o segredo do rei, mas é coisa louvável manifestar e publicar as obras de Deus.

8. E boa a oração acompanhada do jejum, e dar esmola vale mais do que juntar tesouros de ouro,

9. porque a esmola livra da morte (eterna): apaga os pecados e faz encontrar a misericórdia e a vida eterna.

10. Mas os que cometem pecado e iniquidade, são inimigos das suas almas.

11. Eu vou descobrir-vos a verdade, não quero ocultar-vos nada.

12. Quando tu oravas com lágrimas, enterravas os mortos, quando deixavas o teu jantar, para esconder os mortos em tua casa de dia, e os enterrar de noite, eu apresentei as tuas orações ao Senhor.

13. Porque tu eras aceito a Deus, por isso foi necessário que a tentação te provasse.

14. Agora o Senhor enviou-me a curar-te e a livrar do demônio a Sara, mulher de teu filho.

15. Eu sou o anjo Rafael, um dos sete (espíritos principais) que assistimos diante do Senhor.

16. Ao ouvir estas palavras, ficaram fora de si, e, tremendo, caíram com o rosto em terra.

17. O anjo disse-lhe: A paz seja convosco, não temais.

18. Quando eu estava convosco, eu o estava por vontade de Deus; bendizei-o, cantai-lhe louvores.

19. Parecia-vos que eu comia e bebia convosco, mas eu sustento-me dum manjar invisível, duma bebida (que consiste na visão de Deus) a qual não pode ser vista pelos homens.

20. É , pois, tempo que eu volte para aquele que me enviou; vós, porém, bendizei a Deus, e contai todas as suas maravilhas.

21. Proferidas estas palavras, desapareceu diante deles, e eles não o puderam ver mais.

22. Então prostrando-se com o rosto por terra durante três horas, bendisseram a Deus; depois, erguendo-se, publicaram todas as suas maravilhas.





“É sempre necessário ir para a frente, nunca para trás, na vida espiritual. O barco que pára em vez de ir adiante é empurrado para trás pelo vento.” São Padre Pio de Pietrelcina