1. Davide juntou de novo todos os homens escolhidos de Israel, em número de trinta mil,

2. levantou-se e partiu com toda a gente da tribo de Judá, que, estava com ele, para transportar a arca de Deus, sobre a qual é invocado o nome do Senhor dos exércitos, que tem o seu assento sobre ela, entre os querubins.

3. Puseram a arca de Deus sobre um carro novo, e levaram-na da casa de Abinadab, que estava sobre a colina. Oza e Ahlo, filhos de Abinadab, conduziam o carro novo.

4. Tendo-a tirado da casa de Abinadab, que estava sobre a colina, Ahio ia adiante da arca guardando a arca de Deus.

5. Davide, porém, e todo o Israel dançavam diante do Senhor ao som de toda a casta de instrumentos de madeira, e cítaras, e liras, e tímpanos, e sistros, e címbalos.

6. Quando chegaram à eira de Nacon, Oza estendeu a mão para a arca de Deus e susteve-a, porque os bois escoicinhavam, e tinham-na feito pender.

7. O Senhor indignou-se muito contra Oza, e feriu-o pela sua temeridade: Oza caiu morto ali mesmo junto da arca de Deus. (ver nota)

8. Davide contristou-se, porque o Senhor tinha ferido Oza. Aquele lugar ficou-se chamando até ao dia de hoje: Castigo de Oza.

9. Davide temeu o Senhor, naquele dia, dizendo: Como entrará a arca do Senhor em minha casa?

10. E não quis que levassem a arca do Senhor para sua casa, na cidade de Davide, mas fê-la ir para casa de Obededom, de Get.

11. A arca do Senhor esteve três meses em casa de Obededom, de Get, e o Senhor abençoou Obededom e toda a sua casa.

12. Foi anunciado ao rei Davide que o Senhor tinha abençoado Obededom e tudo o que lhe pertencia, por causa da arca de Deus. Foi então Davide, e levou a arca de Deus de casa de Obededom para a cidade de Davide, com um jubiloso cortejo.

13. Quando os que levavam a arca do Senhor tinham dado seis passos, foi oferecido um sacrifício de um boi e de um carneiro.

14. Davide dançava diante do Senhor com todas as suas forças, cingido dum éfode de linho.

15. Davide e toda a casa de Israel conduziram a arca do testamento do Senhor com júbilo e ao som de trombetas.

16. Quando entrou a arca do Senhor na cidade de Davide, Micol, filha de Saul, olhando da janela, viu o rei Davide dançando e saltando diante do Senhor, e desprezou-o em seu coração.

17. Introduziram a arca do Senhor e colocaram-na no seu lugar, no meio do tabernáculo, que Davide lhe tinha preparado; depois disto Davide ofereceu holocaustos e vítimas pacíficas diante do Senhor.

18. Quando acabou de oferecer os holocaustos e as vítimas pacíficas, abençoou o povo em nome do Senhor dos exércitos.

19. A seguir distribuiu a todo o povo de Israel, tanto a homens como a mulheres, a cada um um a torta de pão, um pedaço de carne de vaca assada, e uma pasta de uvas. E retirou-se todo o povo, cada um para sua casa.

20. Retirou-se também Davide a sua casa, para a abençoar. Micol, filha de Saul, tendo saído ao encontro de Davide, disse: Que bela figura fez hoje o rei de Israel, despindo-se (das suas insígnias), diante das escravas de seus vassalos, e desnudando-se como faria um chocarreiro

21. Davide disse a Micol: Diante do Senhor, que me escolheu, preferindo-me a teu pai e a toda a sua família, e que me mandou que fosse eu o condutor do povo do Senhor em Israel,

22. não só dançarei, mas também me farei mais vil do que me tenho feito, serei mais humilde aos teus olhos, e com isto aparecerei com mais glória diante das escravas, de que falaste.

23. E Micol, filha de Saul, não teve mais filhos até ao dia da sua morte.





O Pai celeste está sempre disposto a contentá-lo em tudo o que for para o seu bem”. São Padre Pio de Pietrelcina