1. Beseleel fez a arca de pau de acácia, a qual tinha dois côvados e meio de comprido, côvado e meio de largo, e também côvado e meio de alto. Revestiu-a de ouro finíssimo por dentro e por fora,

2. e fez-lhe uma cornija de ouro ao redor,

3. e fundiu quatro argolas de ouro para os seus quatro cantos: duas argolas de um lado, e duas do outro.

4. Fez também os varais de acácia, os quais revestiu de ouro,

5. e fê-los entrar pelas argolas que estavam nos lados da arca, para a levar.

6. Fez mais o propiciatório de ouro puríssimo, com dois côvados e meio de comprido, e côvado e meio de largo.

7. Também fez de querubins de ouro batido, os quais pôs aos dois lados do propiciatório:

8. um querubim na extremidade de um lado, e outro querubim na extremidade do outro lado; (estes) dois querubins (ficavam) nas duas extremidades do propiciatório,

9. de asas estendidas, a cobrir o propiciatório, olhando um para o outro, (mas inclinados) para o propiciatório.

10. Fez também uma mesa de acácia, com dois côvados de comprido, um côvado de largo, e côvado e meio de alto.

11. Cobriu-a de ouro puríssimo, fez-lhe ao redor uma orla de ouro,

12. e sobre a mesma orla uma cornija de ouro entalhada, da altura de quatro dedos, e sobre esta uma outra cornija de ouro.

13. Fundiu também quatro argolas de ouro, que pós nos quatro cantos em cada um dos pés da mesa,

14. e enfiou por elas os varais, para a mesa poder ser levada.

15. Fez estes mesmos varais de pau de acácia e revestiu-os de ouro.

16. Fez os utensílios para os diferentes usos da mesa, pratos, copos, taças e turíbulos de ouro puríssimo, em que se hão-de oferecer as libações.

17. Fez também o candeeiro de finíssimo ouro batido, de cuja haste saiam os ramos, os copos, as esferazinhas e as açucenas.

18. Seis (ramos saiam) dos dois lados, três ramos de um lado, e três do outro.

19. Havia três copos em forma de noz e esferazinhas e açucenas, tanto no primeiro, como no segundo, como no terceiro ramo. Era igual o lavor dos seis ramos, que saíam da haste do candeeiro.

20. Porém na mesma haste havia quatro copos em forma de noz, e cada um tinha as suas esferazinhas e as suas açucenas,

21. e havia três esferazinhas em três lugares da haste, e de cada uma saíam dois ramos, ficando ao todo seis ramos a sair da mesma haste.

22. Assim as esferazinhas e os ramos saiam dela, tudo de ouro puríssimo e trabalhado a martelo.

23. Fez também de finíssimo ouro sete lâmpadas com seus espevitadores, bem como os vasos onde se apagasse o morrão.

24. O candeeiro com todos os seus vasos pesava um talento de ouro.

25. Fez de pau de acácia o altar dos perfumes, que tinha um côvado de comprimento, outro de largura, e dois côvados de alto, de cujos cantos saíam as pontas.

26. Revestiu-o de ouro puríssimo, juntamente com as grelhas e as paredes e as pontas.

27. Fez-lhe uma cornija de ouro ao redor e duas argolas de ouro debaixo da cornija, a cada lado, para se meterem por elas os varais, e se poder levar o altar.

28. Fez os mesmos varais de pau de acácia e cobriu-os com lâminas de ouro.

29. Compôs também o óleo para a unção das sagrações, e o perfume dos aromas mais puros, segundo as regras da perfumaria.





“A caridade é o metro com o qual o Senhor nos julgará.” São Padre Pio de Pietrelcina