1. O Senhor falou a Moisés, dizendo: Vai, sai deste lugar tu e o teu povo, que tiraste da terra do Egipto, para a terra que jurei (dar)_ a Abraão, a Isaac e a Jacob, dizendo: Eu a darei à tua posteridade.

2. Enviarei um anjo, diante de ti, e expulsarei o Cananeu, o Amorreu, o Heteu, o Ferezeu, o Heveu e o Jebuseu,

3. para que entres num país, onde corre leite e mel. Não subirei contigo, visto seres um povo de cerviz dura, não suceda que eu tenha de te exterminar no caminho.

4. O povo, ouvindo estas duras palavras, chotou, e nenhum vestiu as suas galas costumadas.

5. O Senhor disse a Moisés; Dize aos filhos de Israel: Tu és um povo de cerviz dura; se eu vier uma só vez ao meio de ti, exterminar-te-ei. Agora; pois, depõe as tuas galas, para que eu saiba o que terei de te fazer.

6. Depuseram, pois, os filhos de Israel as suas galas, desde o monte Horeb.

7. Moisés, tomando o tabernáculo, levantou-o longe, fora dos acampamentos, e chamou-lhe tabernáculo da reunião. Todos os do povo, que tinham alguma questão, saíam fora dos acampamentos ao tabernáculo da reunião.

8. Quando Moisés saia para o tabernáculo, toda a multidão se levantava, e cada um ficava em pé à porta da sua tenda, e olhava para Moisés, até ele entrar no tabernáculo.

9. Logo que ele entrava no tabernáculo da reunião, a coluna de nuvem descia, e parava à porta, e (o Senhor) falava com Moisés.

10. Todo o povo, ao ver que a coluna de nuvem se conservava parada à porta do tabernáculo, se levantava e se prosternava (adorando o Senhor) à porta das suas tendas.

11. O Senhor falava a Moisés face a face, como um homem costuma falar com o seu amigo. Quando ele voltava para os acampamentos, o seu jovem servo Josué, filho de Nun, não se apartava do tabernáculo.

12. Moisés disse ao Senhor: Ordenas-me que tire daqui povo mas não me declaras quem mandarás comigo, embora me tenhas dito: Conheço-te pelo Deu nome, e tu achaste graça diante de mim.

13. Se eu, pois, achei graça na tua presença, faze-me conhecer os teus caminhos, para que, conhecendo-os, veja que achei graça ante os teus olhos. Considera que este povo é o teu povo.

14. O Senhor disse-lhe: A minha face irá diante de ti, e eu te darei descanso.

15. Moisés disse: Se tu mesmo não vais adiante de nós, não nos faças partir deste lugar;

16. com efeito, como poderemos conhecer, eu e o teu povo que achamos graça diante de ti, se não andares connosco, para sermos respeitados de todos os povos que habitam sobre a terra?

17. O Senhor disse a Moisés: Até isto que disseste farei, porque tu achaste graça diante de mim, e eu te conheço pelo teu nome.

18. Moisés disse: Mostrai-me a tua glória.

19. (O Senhor) respondeu: Eu te mostrarei toda a minha bondade e pronunciarei o meu nome, Iavé, diante de ti, (porque) me compadeço de quem eu quiser, e sou clemente com quem me aprouver. (ver nota)

20. E acrescentou: Não poderás, porém ver a minha face, porque o homem não pode ver-me e viver.

21. Disse mais: Eis um lugar junto de mim, tu estarás sobre aquela pedra.

22. Quando passar a minha glória, eu te meterei na concavidade da pedra, e te cobrirei com a minha mão, até que tenha passado.

23. Depois tirarei a minha mão e tu me verás pelas costas; o meu rosto não o poderás ver. (ver nota)





“Viva sempre sob o olhar do Bom Pastor e você ficara’ imune aos pastos contaminados.” São Padre Pio de Pietrelcina