1. o Senhor disse a Aarão: Tu, teus filhos, e a casa de teu pai contigo, levareis a iniquidade do santuário; tu e teus filhos juntamente levareis os pecados do vosso sacerdócio. (ver nota)

2. Toma também contigo os teus irmãos da tribo de Levi e a casa de teu pai, e eles te assistam e te sirvam; mas tu e teus filhos ministrareis no tabernáculo do testemunho.

3. Os Levitas estarão atentos às tuas ordens e a todas as obras do tabernáculo, sem que todavia se aproximem dos vasos do santuário, nem do altar, para que nem eles morram, nem vós pereçais juntamente.

4. Estejam contigo, e tenham a seu cuidado o tabernáculo da reunião, para fazer todo o serviço. Nenhum estrangeiro se misturará convosco.

5. Prestareis serviço no santuário e no ministério do altar, para que se não levante a (minha) indignação contra os filhos de Israel.

6. Eu dei-vos os vossos irmãos Levitas, separando-os do meio dos filhos de Israel. Dados ao Senhor, vos são entregues de novo, como oferta, para que sirvam no ministério do seu tabernáculo.

7. Tu, porém, e teus filhos guardai o vosso sacerdócio; tudo o que pertence ao culto do altar, e que está para dentro do véu, será feito pelo ministério dos sacerdotes: se algum estranho se aproximar, será morto.

8. Falou mais o Senhor a Aarão: Eu te dei a guarda das minhas primícias. Tudo o que me foi consagrado pelos filhos de Israel eu te dei a ti e a teus filhos pelo ministério sacerdotal, por uma lei perpétua.

9. Daquelas coisas que são santificadas e oferecidas ao Senhor, excepto o que deve ser consumido pelo fogo, receberás o seguinte: Toda a oblação e sacrifício, tudo o que me é oferecido pelo pecado e pelo delito, e que (por isso) se torna uma coisa santíssima, será teu e de teus filhos.

10. Tu o comerás no santuário: somente os homens comerão dele, porque é destinado para ti.

11. As primícias, porém, que os filhos de Israel oferecerem por voto ou espontaneamente, eu as dei a ti, a teus filhos e a tuas filhas, por direito perpétuo. Aquele que está puro na tua casa, comerá delas.

12. Eu te dei o melhor do azeite, do vinho e do trigo, tudo o que oferecem como primícias ao Senhor.

13. Todos os primeiros frutos que a terra produz, e são apresentados ao Senhor, servirão para teu uso: aquele que está puro na tua casa, comerá deles.

14. Tudo o que os filhos de Israel derem por voto, será teu.

15. Todo o primogênito de qualquer carne, que oferecem ao Senhor, seja de homens, seja de animais, pertencer-te-á por direito, mas com esta condição de que pelo primogênito do homem recebas o preço e igualmente recebas o resgate de todo o animal impuro.

16. O seu resgate far-se-á depois de um mês por cinco siclos de prata segundo o peso do santuário. O siclo tem vinte óbolos.

17. Mas não farás resgatar o primogênito do boi, nem o da ovelha, nem o da cabra, porque são consagrados ao Senhor; somente derramarás o seu sangue sobre o altar, e queimarás a gordura em suavíssimo odor ao Senhor.

18. As carnes servirão para teu uso, bem como o peito consagrado e a espádua direita.

19. Eu te dei a ti, a teus filhos e filhas, por um direito perpétuo, todas as primícias do santuário, que os filhos de Israel oferecem ao Senhor. É um pacto de sal, perpétuo, diante do Senhor, contigo e com teus filhos. (ver nota)

20. O Senhor disse a Aarão: Tu não possuirás nada na sua terra, nem terás parte alguma entre eles; eu sou a tua parte e a tua herança no meio dos filhos de Israel.

21. Aos filhos de Levi dou, como herança, todos os dízimos de Israel pelo serviço que prestam, pelo serviço do tabernáculo da reunião,

22. a fim de que os filhos de Israel não mais se aproximem do tabernáculo, nem cometam algum pecado que lhes cause a morte.

23. Só os filhos de Levi me servirão no tabernáculo, e levarão sobre si a sua iniquidade. Esta lei será perpétua nas vossas gerações: Nenhuma outra coisa possuirão,

24. contentando-se com a oferta dos dízimos, que separei para seu uso e para o que lhes for necessário.

25. O Senhor falou a Moisés, dizendo:

26. Ordena, manda aos Levitas: Quando receberdes dos filhos de Israel os dízimos que vos dei, oferecei as primícias deles ao Senhor, isto é, a décima parte do dízimo,

27. para que isto vos seja contado como oferta de primícias, tanto das eiras como dos lagares.

28. Assim oferecereis também ao Senhor, de todas as coisas de que recebestes dízimos, e esta oferta, reservada ao Senhor, dai-a ao sacerdote Aarão.

29. Tudo o que oferecerdes dos dízimos, e que separardes para oferta ao Senhor, será o melhor e o mais. escolhido.

30. Dir-lhe-ás outrossim: Depois de oferecerdes o mais belo e o melhor deles, os dízimos serão para os Levitas como o fruto da terra e o produto do lagar.

31. Comereis desses dízimos, vós e as vossas famílias, em qualquer lugar que habitardes, porque são o preço do ministério que exerceis no tabernáculo da reunião.

32. Já não pecareis, depois de oferecido o melhor e o mais escolhido, já não profanareis as coisas santas dos filhos de Israel, e não morrereis.





“Deus quer que as suas misérias sejam o trono da Sua misericórdia.” São Padre Pio de Pietrelcina