1. Israel estava então em Setim, e o povo caiu em pecado com as filhas de Moab,

2. as quais os convidaram para os seus sacrifícios. Eles comeram e adoraram os deuses delas.

3. Israel consagrou-se a Beelfegor. Então, irado, o Senhor

4. disse a Moisés: Toma todos os príncipes do povo, e pendura-os em forcas em face do sol, para que o meu furor se afaste de Israel. (ver nota)

5. Moisés disse aos juízes de Israel: Cada um mate os seus vizinhos, que se consagraram a Beelfegor.

6. Entretanto um dos filhos de Israel trouxe para junto de seus irmãos uma Madianita, sob os olhos de Moisés e de todo o povo, que choravam diante da porta do tabernáculo.

7. Vendo isto, Fineias, filho de Eleázaro, filho do sacerdote Aarão, levantou-se do meio do povo e, tomando uma lança,

8. entrou após o Israelita até à parte posterior da tenda e atravessou o ventre de ambos, do homem e da mulher. Então cessou a praga sobre os filhos de Israel.

9. Foram mortos vinte e quatro mil homens com aquela praga.

10. O Senhor disse a Moisés:

11. Fineias, filho de Eleázaro, filho do sacerdote Aarão, afagou a minha ira dos filhos de Israel, porque foi animado do meu zelo contra eles; por isso, eu não extingui os filhos de Israel no furor do meu zelo.

12. Por isso dize-lhe: Eu lhe dou a paz da minha aliança,

13. que será tanto para ele como para sua descendência um pacto de perpétuo sacerdócio, porque foi zeloso pelo seu Deus e expiou a maldade dos filhos de Israel.

14. O Israelita, que foi morto com a Madianita, chamava-se Zambri, filho de Salu, chefe de uma família da tribo de Simeão.

15. A mulher Madianita, que foi morta juntamente, chamava-se Cozbi, filha de Sur, chefe de tribo, de uma das casas patriarcais dos Madianitas.

16. O Senhor falou a Moisés, dizendo:

17. Tratai os Madianitas como inimigos e matai-os,

18. porque também eles vos trataram como inimigos, e vos enganaram artificiosamente por meio do ídolo de Fogor, e de Cozbi, sua irmã, filha dum chefe de Madian, que foi morta no dia da praga que sobreveio por causa do sacrilégio de Fogor.





“A oração é a efusão de nosso coração no de Deus.” São Padre Pio de Pietrelcina