1. O filho sábio é a alegria de seu pai, o filho insensato é a tristeza de sua mãe.

2. Os tesouros mal adquiridos de nada servirão; pelo contrário, a justiça livra da morte.

3. O Senhor não deixará com fome o justo, mas deixará insaciados os apetites dos ímpios.

4. A mão preguiçosa produz a indigência. mas a mão diligente adquire riquezas.

5. Aquele que recolhe no estio é um filho prudente, mas o que dorme na ocasião da messe, cobre-se de vergonha.

6. A bênção do Senhor repousa sobre a cabeça do justo, mas a iniqüidade dos ímpios cobre-lhes o rosto.

7. A memória do justo será abençoada, porém o nome dos ímpios apodrecerá.

8. O que é sábio de coração recebe bem os preceitos, mas o insensato dos lábios vai à perdição.

9. Aquele que anda na rectidão, anda afoitamente; aquele porém que segue caminhos tortuosos, será descoberto.

10. O que faz sinais com os olhos, causará dor; e o insensato de lábios será ferido.

11. A boca do justo é uma fonte de vida, porém a boca dos ímpios esconde a iniqüidade.

12. O ódio excita rixas, porém a caridade cobre todas as faltas.

13. A sabedoria encontra-se nos lábios do sábio, e a vara é para as costas daquele que não tem senso.

14. Os sábios escondem a sua ciência, mas a boca do insensato é ruína iminente.

15. A riqueza do rico é a sua cidade forte; a indigência dos pobres enche-os de pavor.

16. O salário do justo conduz à vida, o ganho dos ímpios vai para o pecado.

17. O que atende às advertências, está no caminho da vida: o que porém não faz caso das repreensões, anda errado.

18. Os lábios mentirosos escondem o ódio; aquele que espalha calúnias é um insensato.

19. No muito falar não faltará pecado, mas o que modera os seus lábios é homem prudente.

20. A língua do justo é prata finíssima; mas o coração dos ímpios pouco vale.

21. Os lábios do justo alimentam muitos, mas os néscios morrem por falta de entendimento. A bênção do Senhor faz os (homens) ricos; a nossa fadiga não junta nada.

23. É um divertimento para o louco fazer o mal, e para o homem sensato ser sábio.

24. O que o impio teme, isso virá sobre ele; aos justos se lhes concederá o que desejam. O impio desaparecerá como um turbilhão que passa; mas o justo fica em fundamento eterno.

26. Qual o vinagre para os dentes, e o fumo para os olhos. tal é o preguiçoso para aqueles que o mandaram. O temor do Senhor prolonga os dias, porém os anos dos ímpios serão abreviados.

28. A expectação dos justos será satisfeita, mas a esperança dos ímpios perecerá.

29. O caminho do Senhor é a fortaleza do justo, mas o terror dos malfeitores.

30. O justo não será nunca abalado, porém os ímpios não habitarão sobre a terra.

31. Sobre a boca do justo floresce a sabedoria; porém a língua perversa será cortada.

32. Os lábios do justo conhecem a graça, e a boca dos ímpios a perversidade.





“Caminhe com alegria e com o coração o mais sincero e aberto que puder. E quando não conseguir manter esta santa alegria, ao menos não perca nunca o valor e a confiança em Deus.” São Padre Pio de Pietrelcina