1. A resposta branda aquieta a ira; a palavra dura excita o furor. A língua dos sábios torna amável a ciência; da boca dos insensatos derrama-se a loucura.

3. Em todo o lugar estão os olhos do Senhor, contemplando os bons e os maus.

4. A palavra mansa é uma árvore de vida; a língua áspera despedaça o coração.

5. O insensato despreza a correcção de seu pai; o que faz caso das repreensões tornar-se-á mais avisado.

6. Na casa do justo há grande abundância; nos ganhos do ímpio há turbação. Os lábios dos sábios difundirão a ciência; não assim o coração dos insensatos.

8. As vítimas dos ímpios são abomináveis ao Senhor; porém agrada-lhe a oração dos justos. (ver nota)

9. O caminho do ímpio é abominação para o Senhor; o que segue a justiça é amado por ele.

10. Severo é o castigo para o transviado; aquele que odeia as repreensões, morrerá,

11. As profundezas, o abismo, estão patentes diante do Senhor; quanto mais o estarão os corações dos filhos dos homens!

12. O mofador não ama quem o repreende, não vai para junto dos sábios.

13. O coração contente alegra o semblante; a tristeza da alma abate o espírito.

14. O coração do sábio busca a instrução; a boca dos insensatos apascenta-se de loucura.

15. Todos os dias do pobre são tristes; (mas) a alma tranquila é como um perene festim. (ver nota)

16. Mais vale o pouco, com o temor do Senhor, que um grande tesouro com inquietação.

17. Mais vale comer legumes com amizade, do que um gordo novilho com ódio.

18. O homem iracundo provoca rixas; o que é paciente acalma as disputas.

19. O caminho dos preguiçosos é como uma sebe de espinhos; o caminho dos justos é aplanado.

20. O filho sábio alegra seu pai; o insensato envergonha sua mãe.

21. A loucura é gosto para o insensato; porém o varão prudente segue caminho direito.

22. Os projectos malogram-se onde não há conselho, mas onde há muitos conselheiros (bons) realizam-se com êxito.

23. Cada um compraz-se em saber dar uma (boa) resposta. E quanto bem faz uma palavra oportuna!

24. Pela vereda da vida chega ao alto o homem inteligente, desviando-se assim da habitação dos mortos. O Senhor demolirá a casa dos soberbos, e firmará os limites da viúva. (ver nota)

26. As intenções más são a abominação do Senhor; a palavra pura ser-lhe-á multo agradável. Aquele que vai atrás da avareza perturba a sua casa; o que porém aborrece os subornos viverá (feliz). (ver nota)

28. A alma do justo medita o que deve responder, porém a boca dos ímpios despeja maldades.

29. O Senhor está longe dos ímpios, mas atende às orações dos justos.

30. A luz dos olhos é a alegria do coração; uma boa notícia conforma os ossos.

31. O ouvido que escuta as repreensões salutares, terá o seu posto entre os sábios.

32. Aquele que rejeita a correcção despreza a sua alma; o que se submete às repreensões adquire a sabedoria.

33. O temor do Senhor é a escola da sabedoria, e a humildade precede a glória.





“Onde há mais sacrifício, há mais generosidade.” São Padre Pio de Pietrelcina