1. Não tenhas inveja aos homens maus, nem desejes estar com eles; porque o seu espírito medita ruínas, e os seus lábios proferem enganos.

3. É com a sabedoria que a casa será edificada, e consolidar-se-á com prudência.

4. Pela ciência encher-se-ão as despensas de tudo o que há de precioso e belo. O homem sábio é forte, e o douto, robusto e valente,

6. porque é pela prudência que se empreende a guerra, e a salvação está onde houver muitos (e sábios) conselhos. Para o insensato é demasiado sublime a sabedoria; ele não abrirá a boca à porta.

8. Aquele que pensa em fazer males, será chamado artífice de intrigas.

9. O pensamento do insensato é o pecado: e o detractor é a abominação dos homens.

10. Se, descoroçoado, perderes a esperança, no tempo da adversidade, descairá a tua fortaleza.

11. Procura salvar os que são condenados à morte, e não cesses de livrar os que são arrastados ao suplício.

12. Se disseres: Eu não o sabia, (lembra-te que) aquele que pesa os corações, o conhece (bem); ao guardador da tua alma nada se esconde, e ele retribuirá ao homem segundo as suas obras.

13. Come, meu filho, do mel, porque é bom; o favo é dulcíssimo ao teu paladar.

14. Tal é para a tua alma a sabedoria; se a achares, terás um (bom) futuro, e a tua esperança não perecerá.

15. Não armes, ó ímpio, emboscadas à casa do justo, não destruas o lugar do seu repouso.

16. Porque o justo ainda que caia sete vezes, tornar-se-á a levantar; porém os ímpios serão precipitados no mal.

17. Não te alegres quando cair o teu inimigo, nem o teu coração se regozije com a sua ruína,

18. para não suceder que o Senhor o veja, e que isto lhe desagrade, e que tire de cima dele a sua ira,

19. Não te alteres por causa dos homens péssimos, nem invejes os ímpios,

20. parque para os maus não há futuro, e a lâmpada (ou esplendor) dos ímpios apagar-se-á.

21. Teme, meu filho, o Senhor e o rei, e não te mistures com os detractores,

22. porque de repente deles vem a ruína, e a destruição deles proveniente é súbita.

23. Também estas são palavras dos sábios; Não é bom fazer acepção de pessoas nos jurgamentos.

24. Aqueles que dizem ao ímpio: "Tu és justo" serão amaldiçoados pelos povos e detestados pelas nações.

25. Aqueles que o repreendem, serão louvados, e virá sobre eles copiosa bênção.

26. Dá um beijo nos lábios aquele que dá uma resposta recta. (ver nota)

27. Prepara os teus trabalhos de fora, trata cuidadosamente do teu campo, e depois edificarás a tua casa. (ver nota)

28. Não sejas testemunha, de ânimo leve, contra o teu próximo. Queres, acaso, que teus lábios enganem?

29. Não digas: como ele me fez a mim, assim farei eu a ele; pagar-lhe-ei segundo as suas obras.

30. Passei pelo campo do homem preguiçoso e pela vinha do homem Insensato,

31. e vi que tudo estava cheio de ortigas, que os espinhos cobriam a sua superfície e que o muro de pedra estava caído.

32. Ao ver isto, reflecti; este espectáculo foi para mim uma lição.

33. Um pouco, disse eu comigo, dormirás, outro breve espaço dormitarás, outro poucochinho cruzarás as mãos para descansares,

34. e a indigência virá sobre ti como um vagabundo, e a mendicidade como um homem armado.





“O mais belo Credo é o que se pronuncia no escuro, no sacrifício, com esforço”. São Padre Pio de Pietrelcina