1. Louvai o Senhor, porque é bom, porque a sua misericórdia é eterna. (ver nota)

2. Assim digam os que foram resgatados pelo Senhor, os que ele resgatou da mão do inimigo, (ver nota)

3. e os que congregou de várias terras; do oriente e do ocidente, do aquião e do austro.

4. Andaram errantes pelo deserto, pela solidão, não encontraram caminho para uma cidade habitável. (ver nota)

5. Tinham fome e sede, a sua vida desfalecia neles.

6. E clamaram ao Senhor no meio das suas angústias, e ele os livrou das suas tribulações.

7. Conduziu-os por caminho direito, para que chegassem a uma cidade habitável.

8. Dêem graças ao Senhor pela sua misericórdia e pelas suas maravilhas em favor dos filhos dos homens,

9. porque saciou a alma faminta, encheu de bens a alma esfomeada.

10. Estiveram sentados no meio de trevas e na escuridão, prisioneiros na miséria e nos ferros, (ver nota)

11. Porque tinham sido rebeldes às palavras de Deus, tinham desprezado o conselho do Altíssimo.

12. Humilhou com trabalhos o seu coração; ficaram sem forças, e não houve quem os socorresse.

13. E clamaram ao Senhor no meio das suas angústias, e ele os livrou das suas tribulações.

14. Tirou-os das trevas (do cárcere) e da escuridão, quebrou as suas cadeias.

15. Dêem graças ao Senhor pela sua misericórdia e pelas suas maravilhas em favor dos filhos dos homens,

16. porque arrombou as portas de bronze e quebrou os ferrolhos de ferro.

17. Estavam enfermos, por causa da sua iniquidade, e eram atormentados por causa dos seus delitos. (ver nota)

18. A sua alma aborrecia toda a comida, e chegaram às portas da morte.

19. E clamaram ao Senhor no meio das suas angústias, e ele os livrou das suas tribulações.

20. Enviou a sua palavra para os curar, para os livrar da ruína.

21. Dêem graças ao Senhor pela sua misericórdia e pelas suas maravilhas em favor dos filhos dos homens.

22. Ofereçam sacrifícios de louvor, anunciem as suas obras com alegria.

23. Os que tinham descido ao mar em naus, para fazerem comércio sobre as grandes águas, (ver nota)

24. viram as obras do Senhor, as suas maravilhas no meio do mar.

25. Falou, e excitou um vento proceloso, que levantou para o alto as suas ondas.

26. Subiam até aos céus e desciam até aos abismos; a sua alma desfalecia no meio destes males.

27. Andavam à roda e cambaleavam como ébrios, e toda a sua perícia se desvaneceu.

28. E clamaram ao Senhor no meio das suas angústias, e ele os livrou das suas tribulações.

29. A tempestade serenou em doce brisa, ficaram silenciosas as ondas do mar.

30. Eles alegraram-se por as ver silenciosas, e (o Senhor) conduziu-os ao porto que desejavam.

31. Dêem graças ao Senhor pela sua misericórdia e pelas suas maravilhas em favor dos filhos dos homens

32. Exaltem-no na assembleia do povo, e louvem-no no conselho dos anciãos.

33. Converteu os rios em deserto, os mananciais das águas em terra sedenta, (ver nota)

34. a terra fértil em salsugem, por causa da malícia dos seus habitantes.

35. Converteu o deserto em lago de águas, e a terra árida em mananciais de águas. (ver nota)

36. Estabeleceu ali os famintos, e eles fundaram uma cidade habitável.

37. Semearam campos, plantaram vinhas, e colheram frutos abundantes.

38. E abençoou-os, e multiplicaram-se em extremo, e deu-lhes gado em número não escasso.

39. Depois foram reduzidos a poucos e abatidos, sob o peso dos infortúnios e da aflição.

40. Todavia, o que lança o desprezo sobre os príncipes, e os faz errar por ínvios desertos,

41. levantou o pobre da sua miséria, e fez as famílias numerosas como rebanhos.

42. Os justos vêem (estes coisas) e alegram-se, e toda a maldade fecha a sua boca.

43. Quem é sábio para considerar estas coisas e ponderar bem as misericórdias do Senhor? (ver nota)

43. Quem é sábio para considerar estas coisas e ponderar bem as misericórdias do Senhor?





Uma filha espiritual perguntou a Padre Pio: “O Senhor cura tantas pessoas, por que não cura esta sua filha espiritual?” Padre Pio respondeu-lhe em voz baixa: “E não nos oferecemos a Deus?” São Padre Pio de Pietrelcina